O Mito do QI

Hoje: 05-10-2022

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

De acordo com Richard Lynn e Tatu Vanhanen, o QI médio do brasileiro alcança apenas 87p em relação ao QI médio mundial, assumido como de 100p – incluídos, portanto, os países mais atrasados do mundo. Essa pontuação – que permite um afastamento negativo da média de pelo menos 10 pontos, colocará vários milhões de compatriotas nossos no limite da síndrome de Down.

Os dois pesquisadores citados têm sido muito criticados nos meios científicos, com reflexos em sites especializados da internet. Intelectuais sociólogos, psicólogos, economistas e filósofos de todo o mundo protestaram com veemência contra essa tese de diferença de inteligência entre povos e raças, fundamento do nazismo, ou que tal diferença seja a causa da riqueza ou pobreza entre as nações.

Porém, ainda não sei de protestos contra a posição em que aqueles cientistas colocaram o Brasil, atribuindo aos brasileiros o QI médio de somente 87 pontos, muito inferior aos 100 pontos do QI médio mundial que eles aferiram. A inteligência menor que atribuem aos brasileiros pode não ter fundamento, mas isso não impede que voltemos nossa atenção para essa questão.

Veja, por favor, as páginas vinculadas: “Caminho da Maturidade“, “Maturidade e Imaturidade na Prática“, “Identificando o Comportamento Imaturo“, “Educação Não Basta“, “Os Generais de Hitler” e “Dificuldades da Psicanálise“.

Rubem Queiroz Cobra

Página lançada em 07-02-2022.

Direitos reservados.
Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. – O mito do QI. Site www.cobra.pages.nom.br, Internet, Brasília, 2022.