Viagens

Hoje: 26-10-2021

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

São tantos os modos de viajar e tão variadas as finalidades das viagens, que Boas Maneiras teria, com relação a viagens, uma lista infindável de recomendações e de normas a serem respeitadas. Seguem-se aquelas que julgamos merecedoras de atenção. Algumas notas curtas complementam esta página, relativas a viagens com crianças, viagens de grupo, viagens a serviço, viagens só, viagens de núpcias, bagagens e lista de artigos para a viagem.

Preparativos

O êxito de uma viagem depende de mais coisas, muito além de apenas o respeito às normas de Boas Maneiras, mas a contribuição deste item é importante. O sucesso da viagem depende obviamente de um plano de viagem bem preparado e executado, do modo escolhido para viajar e das empresas de transporte envolvidas, e de vários outros itens que dizem respeito a finanças, escolha de época, etc. Estas não são questões diretamente afetas a Boas Maneiras, mas é óbvio que, em tudo, vão de permeio modos de tratamento e respeito que afetam os sentimentos de auto estima das pessoas integradas no programa, seja como viajantes, seja como anfitriões. A autoestima pessoal e o respeito à autoestima alheia é o aspecto que tomamos como fundamental e razão de ser das normas de Boas Maneiras.

De que informações precisa? Para não passar aborrecimentos nem causar problemas a outras pessoas, uma das coisas importantes é estar bem informado. Você obviamente precisará incomodar as pessoas muito menos, se estiver bem informado e com todos os requisitos em ordem, como, por exemplo, se a sua carteira de motorista terá validade no pais para onde vai, a possibilidade de alugar um carro, uma noção geral da rede de metrô e do traçado das avenidas e ruas principais, localização dos parques e shoppings, dos limites de valor para entrada e saída de objetos que deseja levar ou que irá compra, o seguro para tratamento de saúde, as vacinas obrigatórias para o visto, etc. Relacione suas perguntas e procure o consulado do país com antecedência para solicitar as informações que precisar.

Língua e costumes. A Internet tem uma abundância infinita de informações turísticas incluindo hotéis, pontos de atração turística, as condições climáticas, e mapas das ruas das cidades que você poderá copiar para levar consigo. Sempre há nas cidades agencias oficiais de turismo, que dão informações muito úteis como pontos a visitar, dias da semana e horários de visita, e muitas dessas agências têm sites informativos na Web.

Quando você não fala a língua do país que visitará, nem fala uma língua de conhecimento comum como o inglês na Europa e Ásia, ou o francês na África, a questão da língua passa a ser um item muito importante no seu projeto de viagem. Confiar em dicionários de bolso e livrinhos de frases feitas é ilusório. Tradutores automáticos ainda são muito imperfeitos e induzem a erros crassos. Portanto, ainda que conte com um intérprete ou uma máquina tradutora, ainda precisará de uma noção da língua e a memorização de algumas frases. É importante o cuidado com palavras no idioma estrangeiro parecidas com palavras da nossa língua, mas que têm sentido diverso, e em alguns casos até um significado inconveniente.

Lista de artigos de viagem. Qualquer que seja a finalidade da viagem, uma lista dos artigos e providências para a viagem é um cuidado que permitirá fazer as malas com rapidez e ajudará a evitar dissabores para a pessoa que viaja, seus companheiros de viagem, e seus anfitriões. Veja em LISTA.

Passaporte e Visto. O tipo de documentação de entrada varia de um país para outro. Em alguns, entra-se apenas com a identidade, a maioria pede a apresentação do passaporte, e outros, exigem um visto de entrada no passaporte. Você poderá passar por maus momentos e ser motivo de preocupação e problemas para o seu anfitrião se não estiver com a sua documentação para viajar em absoluta ordem. No país de destino você deve respeitar o prazo de permanência e as condições do visto relativas ao trabalho, estudo ou passeio. Tudo depende, como é sabido, de uma reciprocidade entre os países: o que é exigido no pais de origem, pode ser esperado como exigência também do pais de destino. O consulado do pais para o qual viaja lhe informará o que o tratado bilateral, de seu país com o outro, estabelece quanto a viajantes e imigrantes .

Agência de turismo. Uma viagem pode ser mais prazerosa, segura e mais barata quando organizada por uma boa agência de turismo. A agência pode vender a passagem e indicar hotéis, roteiro de passeios, transporte entre cidades, passagens de trem, e lhe passar informações valiosas que evitarão perda de tempo despesas desnecessárias para você. Os agentes recebem comissões das empresas aéreas e dos estabelecimentos que eles indicam; fazem suas reservas por e-mail e por isso suas informações são passadas gratuitamente ao cliente. No entanto, a data exata da viagem é uma questão chave para que a agência possa auxiliá-lo e fazer suas reservas, bem como o conhecimento de suas preferências quanto a localização e preços de hotéis, pousadas, restaurantes, etc. A agência cuidará também do seu seguro de viagem, apresentando-lhe antes todas as opções. Algumas embaixadas aceitam que o visto seja solicitado por terceiros que apresentem o formulário assinado pelo viajante, e o seu passaporte. Neste caso, essa é mais uma grande ajuda que a empresa de turismo poderá lhe proporcionar.

Escolhendo o meio. Em seu próprio país a pessoa saberá qual meio de transporte lhe servirá melhor, mas quando viaja para o exterior, é preciso saber qual será, no país para onde vai, o tipo de transporte mais conveniente para o trajeto que fará, levando em conta vários fatores como conforto, tempo, classe social que utiliza esse ou aquele meio de transporte, etc. É curioso mas pode ser mais rápido, confortável, e econômico contratar um táxi para uma pequena viagem, que ir do aeroporto para uma estação rodoviária pagando táxi, lidar com a bagagem ou pagar carregadores, e esperar horários demorados para embarque no ônibus, pagar a passagem do ônibus, suportar as paradas a curtas distâncias, e mais o táxi para o hotel no local de destino.

Moeda e recursos para a viagem. Informe-se sobre os modos de garantir recursos para todas as despesas que deverá fazer durante sua viagem. Você não poderá evitar levar na carteira uma certa quantia em dinheiro do país que visita, ou de converter moeda logo que chegue ao estrangeiro, devido às primeiras despesas que fará, como taxi, refeições, para gorjetas, e outras pequenas despesas. As compras e o pagamento do hotel, você poderá fazer com seu cartão de crédito, mas talvez não seja muito fácil obter moeda por essa via. Há o sistema do traveller-cheque ou cheque de viagem, que você leva e poderá trocar nos bancos a fim de ir conseguindo dinheiro na medida que precisar. Cuide seriamente desse item nos preparativos da viagem. Porém, apesar de todas essas facilidades, ainda há pessoas que, alegando não gostarem de usar cartões de crédito, também pensam que levando pouco dinheiro, estarão forçadas a gastar menos. O resultado mais provável é que gastem sem restrições e acabem passando pelo embaraço de pedir emprestado a seus anfitriões, ou provocar irritação em seus companheiros de viagem pedindo-lhes dinheiro ou para utilizar seus cartões. As despesas com a volta da viagem também precisam ser lembradas, e algum dinheiro do país guardado para os gastos nas conexões, com táxi, etc.

Roupas de viagem. As calças compridas parecem ser a melhor opção para a mulher e podem fazê-la muito elegante. Para o homem fica bem calça e paletó esporte em voos internacionais, e calça e camisa esporte de qualidade e bom corte nos voos domésticos, assim como para a viagem de ônibus ou em seu próprio carro. Devido ao longo tempo sentado durante a viagem, deve-se evitar usar roupas que se deixam amarrotar demasiado, como as de linho, e preferir roupas de tecido que não pegue vincos com facilidade.

Outras Providências

São muito mais que se pensa, a quantidade de coisas que precisam ser feitas como preparativo para uma viagem que dure algumas semanas. Faça uma lista das coisas de que tem que cuidar antes de viajar, e outra das coisas que terão que ser feitas em sua ausência.. Com certeza a primeira preocupação é a segurança de sua casa, durante sua ausência. Escolha com quem deixará as chaves da casa (empregado de confiança, amigo ou parente), o qual ficará também responsável por várias providências durante sua ausência. Organize para ela uma lista de providências a tomar em relação à casa, aos empregados; contas a receber e a pagar no período que vai estar fora. Inclua nessa lista coisas como: condomínios, alugueis, salários, INSS, provisões, etc.; instruções sobre o sistema de alarme, bem como nome e telefone do encanador (bombeiro), pedreiro e eletricista de sua confiança. Deixe com essa pessoa uma cópia do seu itinerário de viagem e como poderá ser contactado no período.

Quanto à viagem propriamente, há que fazer com a devida antecedência a reserva, e comprar as passagens aéreas. Solicitar à empresa aérea serviços especiais, se necessário (acompanhamento nos aeroportos de conexão e de chegada, comida de dieta, ajuda para cuidar de um bebê, etc.) e fazer o seguro de viagem no seu Banco ou na sua Agência de Turismo. Finalize a lista com itens que não podem ser esquecidos, apesar de serem rotineiros: janelas e portas fechadas, carros trancados, registros que devem ser desligados, etc.

Inicie com antecedência a compra de presentes e lembranças que pretende levar para amigos e parentes que irá visitar na viagem.

Embarque. Evite o dissabor de ter seu lugar ocupado por outro passageiro, apresentando-se cedo para o embarque. As companhias têm o direito de substituir o cliente que não comparece com a antecedência exigida. As companhias sempre mantêm um funcionário na área de chegada dos passageiros para ajudar aqueles que chegam atrasados e por isso não há razão para tentar furar as filas de embarque de outros voos.

Outra coisa importante é lembrar-se de confirmar seu retorno, ao final de sua permanência, telefonando ou se apresentando no balcão da companhia na cidade em que estiver, confirmando sua volta, principalmente em caso de viagem internacional.

Se você cumprir corretamente sua parte, a companhia irá compensá-lo ou indenizá-lo caso não possa viajar por erro da empresa (por exemplo, venda de passagens além da cota: as empresas costumam fazer isso calculando que alguns passageiros deixam de se apresentar em tempo).

Os passageiros que necessitam de ajuda por qualquer motivo – inclusive crianças pequenas, menores desacompanhados ou idosos – são chamados em primeiro lugar. Se estiver ao seu alcance, ajude o outro a acomodar seus pertences no compartimento para bagagens de mão acima das poltronas. Se o seu assento for de ponta, levante-se de boa vontade para que seu vizinho de assento passe para o corredor ou retorne ao seu lugar. Se costuma dormir na viagem, ao fazer sua reserva peça um assento que não seja junto ao corredor.

Evite reclinar sua poltrona bruscamente, pois poderá atingir a pessoa atrás de você. O espaço entre os assentos é exíguo, e se você esbarra, ou empurra o encosto da poltrona à sua frente, estará incomodando o seu ocupante, e se você se move muito, incomoda o passageiro que está ao seu lado.

No trajeto

Faça sua parte para manter limpas as poltronas do ônibus ou do avião. Abra o guardanapo no colo quando estiver comendo e depois dobre-o de modo que nada escape para o chão. As mulheres não fazem sua toalete pessoal, nem os homens penteiam os cabelos em seus assentos: devem ir ao toalete para isso.

Se o meio de transporte é o avião, você pode escolher, dependendo do quanto quer ou pode gastar, entre a 1.ª classe ou a classe executiva, e a classe econômica. Muito do conforto que antes só havia na primeira classe ou na classe executiva (aparelho de vídeo, fones de ouvido, etc.) hoje se estendeu à classe econômica. Se você não é corpulento e pode dispensar uvas, uma taça de champanhe no embarque, e uma poltrona reclinável um pouco mais larga, pode ir perfeitamente bem na classe econômica. Esta tem mais espaço para você fazer uma caminhada, além de um ambiente mais descontraído.

Ao utilizar o toalete, deve procurar gastar pouco tempo ali, pois muitas pessoas precisaram usá-lo, principalmente ao final de voos muito longos e noturnos. Após usar o toalete, certifique-se de que está deixando tudo limpo e enxuto, usando as toalhas de papel para secar e limpar, de modo a deixar o local limpo e arrumado. Não se esqueça de acionar a descarga.

Refeições a bordo e nas paradas. No avião, não peça nada especial ou diferente da comida programada para ser servida porque não poderá ser atendida. Os lanches e as refeições não são preparados a bordo, são embarcados no aeroporto de origem. Por isso, se deseja uma refeição de acordo com sua dieta, precisa especificar isto ao fazer a reserva. Algumas companhias chegam a aceitar pedidos de um cardápio diferente que será servido para a pessoa no assento registrado, constante de pratos diferenciados ao gosto do passageiro, se isto for encomendado junto com a reserva.

Nos trens de longo percurso existe o vagão restaurante e não raro também o vagão panorâmico. Sobre o procedimento no vagão restaurante, o que se tem que observar são as normas para os restaurantes e as refeições em geral. Gratifica-se o garçom geralmente com o mesmo percentual que se dá nos restaurantes comuns. No vagão panorâmico não se deve demorar em demasia, porque muitas outras pessoas poderão estar aguardando a vez de ocuparem um dos seus assentos. Portanto, ler jornal ou revista ali representará grande desconsideração com os demais passageiros.

Nas viagens de ônibus pode-se contar com as paradas, geralmente feitas nos melhores restaurantes da linha. Aqui o cuidado deve ser com o prazo que o motorista anuncia para o almoço, e não se fazer esperar.

Chegada

No ponto de destino o motorista do ônibus se posta do lado de fora para assistir à saída dos passageiros, e inclusive ajudar senhoras crianças e idosos a descer os degraus. O camareiro do trem faz o mesmo, mas este tem a expectativa de receber uma gratificação por ter arrumado sua cabine. A tripulação do voo normalmente posta-se junto à porta para verem a saída dos passageiros. Nenhum membro da tripulação deixa o avião antes que saia o último passageiro, por isso é conveniente não demorar a sair ou caminhar displicentemente rumo à porta. Ao passar pela tripulação, geralmente se diz “obrigado”.

Recebimento no aeroporto. Em viagens internacionais de avião, é preciso levar em consideração o trabalho que terão para recebe-lo em um aeroporto muito distante, e optar por um aeroporto doméstico próximo da cidade, como é o caso da escolha entre Guarulhos e Congonhas, em São Paulo, Malpensa e Linate, em Milão, Dulles e Metropolitan, em Washington, Antônio Carlos Jobim e Santos Dumont, no Rio, Newark ou Kennedy e LaGuardia, em Nova York, etc. Neste caso, pode ser necessário incluir no trajeto um aeroporto internacional onde se fará a baldeação para um voo autorizado para o aeroporto doméstico. O viajante estará, então, assumindo o desconforto da troca de avião para evitar um longo percurso a quem deverá aguardá-lo no destino.

As pessoas que aguardam parentes e amigos podem tornar a chegada do viajante inesquecível para eles, mediante uma gentileza muito fácil de se fazer: dar-lhes um pequeno presente na chegada. Um buquê de rosas, ramalhetes de flores, até coisinhas mais sofisticadas (nada que seja volumoso ou pesado), como um lenço de cambraia ou de seda que tenha impresso um pequeno mapa da cidade (um presente muito apreciado, recebido em certa ocasião por minha mulher), ou com dizeres como “bem vindo a..”, artigos que podem ser encontrados em lojas de souvenir. As crianças que chegam ficam menos tensas e mais amigas se recebem ainda no aeroporto brinquedos que prendem sua atenção e as deixam felizes.

Os que chegam cumprimentam os familiares mais próximos e de que estiveram afastados mais tempo, e em seguida, por ordem de precedência, as demais pessoas que os recebem, os mais importantes e os mais velhos primeiro. Além de agradecer a recepção não se deve esquecer de, posteriormente agradecer, a quem for devido, também o transporte até o destino.

É aceitável que alguém faça a gentileza de empurrar o carrinho de bagagens de quem chega, no aeroporto ou na estação de trem ou de ônibus, mas o viajante deve assistir e ajudar a colocar as malas no porta-malas do carro, quando não há, ou não se deseja pagar, um carregador. A escolha de chamar um carregador e o seu pagamento é do viajante, não de quem o recebe, a menos que seja viagem de negócios em que um representante vai recebê-lo.

Se recorrer a um carregador no aeroporto, na estação ferroviária ou na rodoviária – e também para o carregador na entrada do hotel –, a base de gratificação é de um e meio a dois dólares por mala, o que equivale em média a 8 a 10 dólares por hora de trabalho, a remuneração usual nos Estados Unidos. Em geral essa gratificação é menor, nos outros países.

Se você não tem a indicação de um hotel, pode solicitar ajuda no balcão de informações do Aeroporto ou da estação ferroviária ou rodoviária. É melhor que sair de táxi a esmo, ou depender da indicação do taxista. A informação é gratuita e não há expectativa de gratificação. Você dirá ao funcionário do balcão quanto pretende despender com as diária e ele lhe dará algumas opções de hospedagem. Dirá a você também o custo do táxi até o hotel escolhido, como também poderá sugerir algum modo mais econômico de chegar lá.

Rubem Queiroz Cobra

Página lançada em 31-03-2004.

Direitos reservados.
Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. – VIAGENS. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 2004.