Grineus (Grynaeus)

Hoje:

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

Johann Jakob Grynaeus (1540-1617), clérigo protestante suíço, nascido em Berna, é com certeza o amigo de Althusius, em cuja casa o filósofo morou por algum tempo na Basileia. Seu pai Thomas Grynaeus, foi um respeitado professor de línguas antigas na Basileia e em Berna, e depois pastor de Röteln, em Baden, onde Johan foi seu auxiliar no ministério (1559) e depois o substituiu como pastor.

Johan era sobrinho do eminente reformista luterano (calvinista) Simon Grynaeus (1493-1541) intelectual alemão professor de grego e latim, amigo de Melanchthon e que se correpondia com Erasmo e Calvino.

Em 1563 Johann mudou-se para Tübingen a fim de completar seus estudos teológicos, mas retornou em 1565 a Röteln para suceder o pai. Decidiu-se então pelo calvinismo, uma dissidência da igreja luterana contrária à tese de Lutero sobre a Eucaristia, e abjurou à formula concordiae, uma proposta de conciliação com os calvinistas incluída no Liber Concordiae, o compêndio da fé luterana.

Convidado em 1575 para lecionar o Velho Testamento na Basileia, ele se viu em confronto com outros professores e ministros luteranos ortodoxos, o que teve que suportar até quando, em 1584, foi convidado – possivelmente por influência do amigo Althusius – a colaborar na reorganização da Universidade de Heidelberg.

Retornando a Basileia em 1586, após a morte de Simon Suizer, seu principal oponente, como chefe da Igreja e professor do Novo Testamento, exerceu por mais de vinte e cinco anos considerável influencia tanto nos negócios da Igreja como da comunidade e ganhou notoriedade como hábil teólogo da corrente do reformador Huldreich Zwingli. Entre outras coisas ajudou a reorganizar o Colégio (gymnasium) em 1588. Aos 72 anos ficou cego, o que não o impediu de pregar e lecionar até sua morte em 1617, aos 77 anos. Deixou livros sobre o Velho e Novo Testamento e dois volumes de sobre literatura patrística intitulados Monumenia S. patrum orthodoxographa, de 1569.

Rubem Queiroz Cobra

Página lançada em 00-00-1997.

Para citar este texto: Cobra, Rubem Queiroz – NOTAS: Vultos e episódios da Época Moderna. Site www.cobra.pages.nom.br, Internet, Brasília, 1997.