Iluminação no Teatro Escolar

Hoje: 28-05-2022

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

«12 3 4»

Iluminação

Em uma sala de espetáculos a iluminação tem três funções mais utilizadas:

  1. Conforto do espectador: isto implica clarear a sala com luzes afixadas no teto ou arandelas nas paredes, iluminar avisos, pontuar caminhos e escadas com lâmpadas junto ao chão;
  2. Funcional. Consiste em Iluminar o palco, iluminar o cenário e os atores;
  3. Artística: criar efeitos de luz e cores

As duas últimas funções – a iluminação cênica e a iluminação artística – são tão importantes para a representação teatral quanto a cenografia, o figurino, os adereços, a música, a coreografia, etc. Mas é fundamental que sejam bem dosadas. Se há exagero no brilho, nas cores, ou na movimentação, e a iluminação sai do seu papel coadjutório para se transformar no próprio espetáculo, a assistência provavelmente ficará insatisfeita e frustrada.

O palco.No palco, o recurso da iluminação consiste primeiramente em deixar bem visíveis os atores.

A luz direcionada só de frente, ficará chapada. Utilizando-se a luz frontal junto com a contra luz cria-se a profundidade. Por isto o iluminador divide o palco, estuda a peça e imagina como aplicar luzes e cores e que luminárias vai empregar, e monta o plano de iluminação que será seguido na representação da peça.

O palco seria no mínimo dividido em nove áreas (mais ou menos conforme necessário), cada uma com dimensão aproximada de 2,5×4 m. As áreas podem ser organizadas, 3 a frente do palco, 3 no centro do palco e 3 ao fundo, com duas (2) luminárias cada.Esse jogo dá completa visibilidade para o ator.

Dividir o palco em áreas facilita conseguir mais efeitos e de modo mais seguro;As luzes atuarão mais de perto, com aproveitamento total. Este sistema proporciona sempre uma área na linha de centro – na maioria das vezes onde metade do show será realizado. Nos grandes palcos são usadas predominantemente áreas de 8-12 metros de com maior número de luminárias.

Cada área será controlada por um dimmer individual (idealmente). O dimmer, como dito, controla a intensidade permitindo escurecer a área conforme necessário. A posição convergente das duas luminárias em cada área (no mínimo) permitirá ao ator mover-se tanto para a sua direita como para à sua esquerda, e ainda se manter sob uma luz chave. Serão iluminadas com intensidade apenas as áreas de atuação e mantidas mais escuras as que não necessitem de iluminação.

Neste contexto, o designer de iluminação deve selecionar cuidadosamente tanto o ângulo e a direção de toda a iluminação da área. O objetivo principal da iluminação da área deve ser iluminar o ator e evitar a iluminação de fundo.

Especiais. Iluminação especial são luminárias utilizadas em aplicações muito específicas – outras que não a da área de atuação e iluminação de fundo. Normalmente eles são usados para complementar a iluminação geral do palco, ou para proporcionar efeitos de luz específicos. Uma ‘especial’ pode consistir de um facho permanente de luz bem focado na face de um relógio ou em um quadro pendurado no palco.

Panos de Fundo. Cicloramas ou panos de fundo todos devem ser iluminados separadamente do ator e do cenário. Panos de fundo pintados com a representação de bosques, jardins, montanhas e fontes têm sido usados por centenas de anos no teatro, ópera e dança. Um pano de fundo pintado adequadamente às vezes pode transmitir uma sensação de realidade maior que o cenário montado. Comumente, são iluminados com spots encaixados em uma série linear de compartimentos geminados, ligados em 3 circuitos sendo as luminárias de cada circuito com filtros nas cores primárias vermelho, amarelo e azul, de modo que o iluminador pode misturar praticamente qualquer cor.

O pano de fundo ou ciclorama pode ser iluminado só a partir do topo, apenas a partir do fundo, ou de ambas as partes superior e inferior ao mesmo tempo, dependendo do que o iluminador deseje salientar na pintura. Projeção sobre o pano de fundo é comum e é normalmente feita de trás. Há muitos efeitos móveis disponíveis para o sistema de projeção, incluindo nuvens, chuva, água, fogo, etc.

Cenário. A iluminando feita para o drama tem a luz refletida do chão, capaz de alcançar o cenário. Mas estes reflexos são instáveis e podem não iluminar suficientemente, de uma forma apropriada, e o conjunto pode ficar um pouco escuro e sombrio. Não importa quanto o iluminador tente aumentar as luzes da área de atuação, o cenário continuará comparativamente escuro. Neste caso, a iluminação adicional da parte superior das laterais do cenário provavelmente será um reforço necessário.

Luzes práticas. São assim chamadas as luzes que os personagens carregam como parte da sua caracterização fazem parte do cenário: tochas levadas por soldados, lanternas nos ambientes festivos, vela de uma procissão religiosa noturna, etc. As luzes práticas são também do domínio da iluminação e seu efeito assimilado na arte da iluminação do palco.

Cores. Quando a luz branca é passada através de um filtro de cor apenas os comprimentos de onda correspondentes à cor são transmitidos. Todos os outros comprimentos de onda são absorvidos. Isto é referido como filtragem de subtração. O filtro deixa passar ou transmite sua própria cor e bloqueia, absorve ou reflete todas as outras.

Cenas noturnas pedem azuis e pretos, enquanto amarelos e brancos são melhores para cenas do dia.

«12 3 4»

Rubem Queiroz Cobra

Página lançada em 22-12-2011.

Direitos reservados.
Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. – Iluminação no teatro escolar. Site www.cobra.pages.nom.br, Internet, Brasília, 2011.