COBRA PAGES
e seus
objetivos
--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE

 

 

 

Resumos biográficos

Para retornar
à página de
COBRA PAGES
em que estava,
use a seta de
volta do seu
navegador

Jean-Martin Charcot (1825 - 1893), cientista francês nascido em Paris, e falecido em Morvan, França, alcançou fama no terreno da psiquiatria na França, na segunda metade do século XIX. Foi, um dos maiores clínicos e professores de Medicina da França e juntamente, com Guillaume Duchenne, o fundador da moderna neurologia.

Começou seus estudos médicos em 1844 e foi nomeado residente médico dos Hospitais de Paris em 1848 e chefe de Clínica em 1853. Sua tese de doutorado estabeleceu a diferença fundamento entre a gota e o reumatismo articular ou nodoso. Realizou estudos pioneiros sobre o sangue descobrindo as plaquetas que levam o seu nome, e descobriu também a gênese da claudicação intermitente. Foi professor na Universidade de Paris por 33 anos (1860-93). A partir de 1862 e até o fim da sua vida trabalhou no hospital da Salpêtrière, do qual foi diretor. Atraiu discípulos de toda a Europa, alguns deles, como Sigmund Freud, se tornariam famosos mais tarde. Orientou sua própria pesquisa sobre as doenças mentais para o campo da neurologia, criando uma clínica neurológica na Salpêtrière, que foi a primeira da Europa. É considerado o fundador da neurologia moderna.

Em 1867 publicou Leçons cliniques sur les maladies des veillards et les maladies chroniques e em 1877 o seu manual Leçons sur les maladies du foie, des voies biliaires et des reins ("Lições sobre as doenças do fígado, das vias biliares e dos rins")

Charcot tornou-se um hábil hipnotizador, e utilizava essa técnica para induzir no paciente as manifestações próprias da histeria, uma doença mental com variada sintomatologia psíquica, acompanhada de manifestações físicas como enrijecimento do corpo característico da doença. Charcot demonstrava para sua audiência de médicos e estudantes que ele podia usar a hipnose para criar em uma pessoa sadia sintomas como tremores, paralisia, insensibilidade à dor, e vários outros sinais próprios da histeria (um caso avançado de hipocondria e depressão) e que podia igualmente aliviar os sintomas dos pacientes histéricos mediante sugestão hipnótica.

En 1882 criou na Salpêtrière, o que viria a ser a maior clínica neurológica da época, na Europa, centrando seus estudos sobre a histeria, epilepsia e outras desordens neurológicas.

Descobriu numerosas enfermidades e síndromes neurológicos como o da esclerose lateral amiotrófica, - que diferenciou da atrofia muscular progressiva de Aran-Duchenne -, a neuropatia de Charcot-Marie-Tooth, a esclerose múltipla (EM) , da qual fez a primeira descrição histológica completa das lesões da EM e estabeleceu muitas características importantes da mesma, como a perda de mielina e a proliferação de fibras e núcleos gliais. No seu estudo de atrofia muscular, Charcot descreveu os sintomas da ataxia locomotora, uma degeneração da medula espinhal e dos feixes nervosos dos sentidos. Ele foi também o primeiro a descrever a desintegração dos ligamentos e das superfícies das juntas (Síndrome de Charcot ou "junta de Charcot"; artropatías dos joelhos, pélvis e outras articulações) causado por ataxia locomotora e outras doenças e ferimentos relacionados. Ele conduziu pesquisa pioneira de localização dos centros cerebrais responsáveis por funções nervosas específicas, e descobriu os aneurismas miliaria (dilatação das pequenas artérias que alimentam o cérebro), demonstrando sua importância na hemorragia cerebral. Criou o Museu Anatomopatológico de La Salpêtriére, os laboratórios fotográfico, anatômico e fisiológico. Dois dos seus trabalhos mais conhecidos foram Leçons sur les maladies du système nerveux, em 5 vol., publicados de 1872 a 1883; ("Lições sobre as doenças do sistema nervoso") e Iconographie de Ia Salpêtrière, de 1876 a 1880. Em muitas de suas experiências apresentou Blanche Wittmann, conhecida como "a rainha das histéricas", descrita como uma jovem bonita, autoritária e caprichosa.

Charcot acreditava que a histeria resultava de um sistema neurológico fraco e era uma doença hereditária. Podia se instalar após a pessoa sofrer um acidente, era progressiva e irreversível. Um professor de extraordinária competência, ele atraiu estudantes de todas as partes do mundo. Um de seus estudantes em 1885 foi Sigmund Freud, e foi o emprego da hipnose feito por Charcot's na tentativa de descobrir a origem orgânica da histeria que estimulou o interesse de Freud pela origem psicológica das neuroses. Foram seus alunos, além de Freud, também os psicólogos Alfred Binet e Pierre Janet.

R.Q.Cobra
Doutor em Geologia e bacharel em Filosofia
20/04/2003 

Para citar este texto: Cobra, Rubem Queiroz - Educação e Comportamento: Resumos Biográficos. Site COBRA PAGES, www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 1997 ("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br).