Nominalismo

Hoje: 26-10-2021

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

Nominalismo. Uma das correntes de filosofia na disputa a respeito da realidade dos “universais” ou existência real de coisas com todos os atributos da perfeição do seu gênero, e de cuja perfeição participam em maior ou menor grau, as coisas particulares do mesmo gênero.

Um exemplo mais comumente usado é o da palavra “beleza” para a qual os platônicos reivindicam uma existência própria, como um ser que é a beleza mais completa e perfeita, e neste ser que é a beleza pura, têm maior ou menor participação todas as coisas que são belas.

Esses universais são também nomes genéricos aplicáveis à coisa em comum que define um conjunto de coisas particulares. Uma mesa com todos os atributos possíveis da mesa existiria, no dizer de Platão, em um mundo diverso do mundo em que vivemos no qual as coisas são imperfeitas, e no qual uma mesa difere de outra e pode ser melhor ou pior que outra, ambas apenas participando da ideia de mesa, a mesa ideal que ele supunha poder existir no mundo da perfeição.

O Nominalismo nega realidade aos universais com fundamento em que o uso de uma designação geral não implica a existência de uma coisa geral por ela nomeada. Admite, no entanto, que deve haver alguma semelhança entre as coisas particulares às quais a denominação geral se aplica. Para os nominalistas, “beleza” não tem existência própria e é apenas um termo geral para designar esse atributo reconhecível em alguns objetos que, por o possuírem, são ditos objetos belos.

Rubem Queiroz Cobra

Página lançada em 00-00-2001.

Para citar este texto: Cobra, Rubem Queiroz – Nominalismo. Site www.cobra.pages.nom.br, Internet, Brasília, 2001.