Pico della Mirandola

Hoje:

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

Pico de Mirândola, Giovanni, Conte di Concordia (nasceu em 24 de fevereiro de 1463, em Mirandola, ducado de Ferrara, Itália; falecido a 17 de Nov. de 1494, em Florença), intelectual e filósofo platônico cujo De hominis dignitate oratio, um trabalho característico do renascimento composto em 1486, refletia seu método sincrético de tomar os melhores elementos de outras filosofias e de combiná-los em seu próprio trabalho. Seu pai, Giovanni Francesco Pico, príncipe do pequeno território de Mirândola, providenciou a educação humanística, em casa, de seu filho precoce. Pico então estudou direito canônico em Bolonha e filosofia aristotélica em Pádua e visitou Paris e Florença, onde aprendeu hebreu, aramaico, e árabe. Em Florença encontrou-se com Marsílio Ficino, um proeminente filósofo platônico do Renascimento.

Apresentado à cabala hebreia, Pico tornou-se o primeiro intelectual cristão a usar a doutrina cabalística em apoio à teologia cristã. Em 1486, planejando defender 900 teses tinha buscado de diversos escritores gregos, hebreus, árabes, e latinos, convidou intelectuais de toda a Europa a Roma para um debate público. Para a ocasião compôs seu celebrado Oratio. Uma comissão papal, entretanto, denunciou 13 das teses como heréticas, e a assembleia foi proibida pelo papa Inocente VIII.

Apesar de sua imediata Apologia para as teses, Pico achou prudente fugir para a França mas foi preso lá. Após um breve período de prisão, estabeleceu-se em Florença, onde se tornou associado com a Academia Platônica, sob a proteção do príncipe florentino Lorenzo de Medici. À exceção de curtas viagens a Ferrara, Pico passou o resto de sua vida lá. Ele foi absolvido da acusação de heresia pelo papa Alexander VI em 1492. Para o fim de sua vida ele sofreu a influência do radical ortodoxo Girolamo Savonarola, mártir e inimigo de Lorenzo.

O tratado inacabado de Pico contra os inimigos da igreja inclui uma discussão das deficiências da astrologia. Embora esta crítica fosse religiosa mais que científica em sua fundamentação, influenciou o astrônomo Johannes Kepler, cujos os estudos de movimentos planetários fundamenta a astronomia moderna.

Os outros trabalhos de Pico incluem uma exposição do Gênesis sob o título Heptaplus (do grego hepta, “sete”), indicando seus sete pontos do argumento, e um tratamento sinóptico de Platão e Aristóteles, do qual o trabalho De ente et uno (“Do ser e da unidade”) é uma parcela. Os trabalhos de Pico foram coletados primeiramente em Commentationes Joannis Pici Mirandulae (1495-96).

Rubem Queiroz Cobra

Página lançada em 00-00-1997.

Para citar este texto: Cobra, Rubem Queiroz – NOTAS: Vultos e episódios da Época Moderna. Site www.cobra.pages.nom.br, Internet, Brasília, 1997.