O Essencial de Eysenck

Hoje: 20-09-2021

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

 Hans Jurgen Eysenck (1916-1996), psicólogo britânico Nascido na Alemanha , famoso por suas pesquisas sobre a personalidade e o desenvolvimento de um sistema de classificação chamado “inventário de personalidade”. Criou um grande número de experimentos próprios para estudar a personalidade e determinar o grau de inteligência.

 Eysenck nasceu a 4 de março de 1916. Cursou a Universidade de Londres, onde também desenvolveu toda sua carreira profissional como psicólogo, entre 1942 e 1945 no Hospital de Emergência de Mill Hill, e a partir de 1945 no Maudsley Hospital. Foi professor e diretor da Unidade de Psicologia do Instituto de Psiquiatria (1950-1955), professor de psicologia (1955-1984) e professor emérito da mesma Universidade.

 Tornou-se conhecido por criar o EPI (Eysenck Personality Inventory). Com base nas teorias de Jung, estabeleceu uma escala que tem na parte inferior traços de personalidade e reações habituais, até atingir, passando pelo estado neurótico, a personalidade psicótica, na parte superior. Eysenck atribui grande importância aos determinantes biológicos da personalidade e dedicou-se à busca dos fatores físicos que determinam os diferentes grupos de personalidade. Um de seus trabalhos mais controversos estabelece uma relação entre o QI do indivíduo e sua origem racial. Foi acusado de levar o determinismo biológico aos seus extremos.

 Outra das suas importantes contribuições para a psiquiatria foi a terapia comportamental no tratamento de distúrbios mentais. Este método terapêutico é baseado na teoria de que muitos dos problemas psicológicos devem-se as deficiências no processo educativo e utiliza o condicionamento do paciente para que este reaprenda a forma de reagir e se comportar. Esta terapia, chamada “aversão” é usada para ajudar os pacientes a melhorar sua comunicação e seu relacionamento social, ou para remover comportamentos socialmente inaceitáveis, como a violência.

 Na terapia de aversão, uma das formas de terapia comportamental, o paciente é submetido à situação que produz a fobia até sua total eliminação. O método no entanto não teve êxito quando experimentado para mudar o comportamento sexual anormal do paciente.

 Eysenck publicou mais de 50 obras, entre as quais: Dimensões da personalidade (1947); o Estudo científico da personalidade (1952); Raça, inteligência e educação; (1971) e sua autobiografia Rebelde com uma causa (1990).

Rubem Queiroz Cobra

Página lançada em 31-01-2011.

Direitos reservados.
Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. – O essencial de Eysenck. Site www.cobra.pages.nom.br, Internet, Brasília, 2011.