COBRA PAGES
e seus
objetivos
--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Filosofia no Brasil - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação - Teatro Pedagógico - Higiene - Boas Maneiras e Etiqueta - Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE & BUSCA

 
 
 

NOVIDADES DO SITE

THOMAS MORE

Vida, filosofia e obras de Thomas More - II

Página escrita por
Rubem Queiroz Cobra
(Site original: www.cobra.pages.nom.br)

anterior << Páginas 1 2 3 4 >> próxima                     

Uma coisa que pesou em sua decisão foi que não conseguiu afastar o desejo de viver a vida de casado e por isso escolheu ser um marido casto a ser um padre impuro. De acordo com a memória de familiares, nessa ocasião More desejava pautar sua vida pela de outro leigo notável, Pico de Mirandola, cuja biografia, escrita por um sobrinho, More estudou e traduziu com interesse. Em 1504 escreveu The Life of John Picus, publicado em 1510)

Maturidade. Decidida a questão de sua vocação, More lançou-se ao trabalho nos Tribunais e alcançou imediato sucesso.

Sua grande capacidade atraiu a atenção dos dirigentes da Lincoln's Inn, que o indicaram para lecionar Lei na Furnival's Inn, uma afiliada da Lincoln's, e suas aulas foram tão apreciadas que foi nomeado por três anos sucessivamente, de 1503 a 1506, uma grande honra para um profissional ainda jovem.

Em 1504, aos 27 anos, foi eleito para a "House of Commons" (Câmara dos Comuns).

Imediatamente se opôs no Parlamento ao excesso de dinheiro solicitado pelo Rei para custeio das festas do casamento da filha e promoção do filho a cavaleiro. More convenceu os pares a fazer expressiva redução em benefício do povo. Das 113.000 libras que Henrique VII queria levantar, graças aos protestos de More os Commons reduziram a soma para 30,000. O Rei, irado, inventou uma querela sem motivo com o pai de More mandando prende-lo na Torre para liberta-lo depois de pagar uma multa de 100 libras.

More e seus amigos ficaram alarmados. Ele pensou em fugir do país e começou a aprender francês e reduzir sua atividade no tribunal. O bispo de Winchester, prejudicado por More em uma causa, ofereceu-se para conseguir o perdão do Rei. Antes de responder ao bispo, More consultou alguns amigos, entre eles o capelão do mesmo bispo, e este veementemente desaconselhou que ele aceitasse tal mediação. A finalidade da oferta, era leva-lo a admitir uma culpa e assim ensejar ao Rei castigá-lo com a pena de morte. More não voltou ao bispo.

Ao final de 1504 ou início de 1505, aos 28 anos, Thomas More casou com Jane Colt, a mais velha de 18 crianças de John Colt, um cavalheiro, dono de Netherhall, propriedade rural em Essex. Sua primeira filha, Margaret, nasceu no mesmo ano.

Jane Colt era dez anos mais jovem que ele e sentiu muito sair da companhia das irmãs e trocar o ambiente simples do campo pelo tumulto e vida agitada da sociedade londrina. Com grande força de vontade ela adaptou-se ao papel de esposa de um homem ilustre. Foi uma competente anfitriã para os visitantes estrangeiros, tal como Erasmo, que por algum tempo teve quarto permanente em casa de More. Com Jane Colt teve três filhas e um filho, Margaret, Elizabeth, Cecília e John. Em 1511, Jane More faleceu.

A primeira casa de More, onde todos os seus filhos nasceram, era chamada "The Barge". Estava em uma atraente parte de Londres, em Bucklersbury Street, uma rua perfumada por possuírem ali suas lojas muitos negociantes de essências. Enquanto viveu em The Barge, sua paróquia era a de St. Stephen, em Walbrook. Foi nela que foi enterrada Jane, nela que More se casou novamente com Alice, e onde sua filha Margaret casou com William Roper.

De 1505 a 1506, em Bucklersbury Street, More ocupa-se, juntamente com Erasmo, da tradução de Diálogos de Luciano, obra publicada em 1506 em Paris com um extenso título: "Luciani Dialogi . . .compluria opuscula . . . ab Erasmo Roterodamo et Thoma Moro interpretibus optimis in Latinorum língua traducta . . .".

É importante que More e Erasmo tenham trabalhado juntos na tradução para o Latim dos diálogos de Luciano, pois com certeza este autor grego os influenciou.

Nascido em Samósata, na Síria (atual Samsat, à margem do rio Eufrates, Turquia) por volta de 120, Lucianus, ou Lucinus, adquiriu cultura na Grécia, viajou pela Europa até a França, ao Egito e voltou para a Grécia onde faleceu em Atenas depois de 180 da Era Cristã. Foi professor de retórica, panfletista, satírico, autor de "Diálogos dos Deuses" e "Diálogos dos Mortos".

O "Elogio da Loucura" de Erasmo parece ter sofrido influência de Luciano que, em suas sátiras, descreveu as loucuras da sociedade de seu tempo. Thomas More, mais ainda, pois parece que Luciano influiu em seu Utopia, pois em "Verdadeira História", Luciano começa avisando o leitor de que os eventos são completamente falsos e impossíveis, e nele descreve uma viagem que se inicia no mar, continua nos céus, e inclui absurdos imaginários em forma de sátira, e que pode bem ter despertado a imaginação de More para escrever sua Utopia. Outra possível influência poderá ser a dedicação de More a escrever a vida de Ricardo III, uma tarefa que encontraria alguma orientação em Luciano, que escreveu um tratado "Como escrever História", no qual recomenda imparcialidade, desapego, e devoção rigorosa à verdade como características do historiador ideal.

More trabalha e estuda intensamente neste período, quando também, em 1506, visita Coventry. Sua irmã Elizabeth Rastell vivia nessa cidade. Foi nessa visita que More conheceu o frei cuja figura ele descreve na sua Letter to Dorp, que vai publicar mais tarde. É o ano do nascimento de sua filha mais velha Elizabeth.

Em 1507, aos 30 anos, More trabalha como secretário de finanças na Lincoln's Inn; Nasce a filha Cecília.

Pela sua competência, conhecimento de leis e pela sua reputação de santidade, Thomas More tornou-se conhecido e respeitado pêlos londrinos. Os comerciantes o escolheram para representá-los em várias ocasiões. Em 1509 More cruzou o canal para tratar de interesses de um grupo de negociantes, o que muito lhe convinha como um disfarce para preparar um refúgio caso tivesse que fugir. Visitou as universidades de Louvain e Paris. Constatou que ambas estavam em grande atraso em relação a Oxford ou Cambridge na Inglaterra.

Época de Henrique VIII. A necessidade de exilar-se deixou de existir para More com o falecimento de Henrique VII, em 1509. Toda a Inglaterra explodiu em alegria na aclamação do novo rei, Henrique VIII. Mountjoy inclusive enviou uma carta ao seu velho mestre Erasmo, que estava então na Itália, convidando-o a vir para a Inglaterra desses novos tempos e More, como de hábito, o hospedou.

Aos 32 anos começou a atuar como juiz, uma posição que ainda o fez mais querido da população. É também o período em que escreve a sua Utopia, sua obra prima.

A partir de setembro de 1510 foi um dos dois sub-sherifes de Londres, um cargo judiciário e administrativo. E tinha uma enorme quantidade de problemas da cidade para resolver no seu centro municipal. Ganhou fama de juiz imparcial e de protetor geral dos pobres. Em a julho de 1518 renunciou ao cargo a fim de poder se entregar inteiramente ao serviço do Rei.

No meio do ano de 1511 passou por um grande desgosto, devido ao falecimento da esposa, possivelmente devido a problemas de parto. Apesar de fortemente abalado pela perda da esposa, decidiu casar-se novamente apenas algumas semanas depois de enviuvar. Casou com a melhor mulher que conhecia e considerou acertadamente que encontraria nela uma segunda mãe para seus filhos: Alice Middleton. Ela era viuva de um fabricante de tecidos londrino, sete anos mais velha que ele, de educação um tanto rude mas devotada aos quatro filhos de More e Erasmo a elogia como excelente dona de casa. Alice tinha uma filha de mesmo nome, do primeiro casamento. More não teve nenhum filho com ela.

Em 1513 o rei lidera seu exército contra a França. More escreve Epigrams on Brixius e começa a escrever o seu "História do Rei Ricardo III", escrito em latim e inglês, considerado a primeira obra prima da historiografia inglesa, e que influenciou os historiadores e serviu a William Shakespeare para uma de suas peças.

anterior << Páginas 1 2 3 4 >> próxima

Rubem Queiroz Cobra            

R.Q.Cobra
Doutor em Geologia
e bacharel em Filosofia.
Lançada em
 17/02/99

Direitos reservados. Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. - Thomas More. COBRA.PAGES.nom.br, Internet, Brasília, 1999.
("Geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de COBRA.PAGES)

 Utilize a barra de rolagem desta janela de texto para ver as NOVIDADES DO SITE
 
Obrigado por visitar COBRA PAGES