COBRA PAGES
e seus
objetivos
--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE & BUSCA

 


Vultos e episódios da Época Moderna

Para retornar
à página de
COBRA PAGES
em que estava,
use a seta de
volta do seu
navegador

Leeuwenhoek, Antonie von Leeuwenhoek, Antonie van (1632-1723), microscopista holandês que foi o primeiro a observar as bactérias e os protozoa. Sua pesquisa refutou a teoria da geração espontânea. Um emprego estável na administração de Delft permitiu-lhe dedicar tempo a fabricar lentes e usá-las para observar o mundo microscópico. Isolou micróbios em diferentes meios, principalmente na água, e também na boca e no intestino do homem, e calculou seu tamanho. Em 1677 descreveu pela primeira vez o espermatozoide de insetos, cães, e do homem. Estudou as estrias dos músculos, partes da boca dos insetos, e a estrutura mais fina das plantas.

Em 1684 fez a primeira descrição precisa das células vermelhas do sangue. Um amigo o colocou em contacto com a Royal Society em Londres, para a qual, a partir de 1673 e até 1723, ele encaminhou cartas relatando suas descobertas. Foi eleito membro da sociedade em 1680. Suas descrições eram publicadas no Philosophical Transactions, órgão da Sociedade. A primeira representação de uma bactéria é um desenho feito por Leeuwenhoek nessa publicação em 1683.

Suas descobertas foram tão dramáticas para a época que ele ficou mundialmente famoso e foi visitado por personalidades notáveis como Pedro I, o Grande, da Rússia, James II da Inglaterra e Frederick II, o Grande, da Prússia.

Leeuwenhoek fabricou e utilizou lentes que aumentavam de 50 a 300 vezes. Com este aumento relativamente pequeno, deve ter feito uso de algum recurso auxiliar como iluminação oblíqua, ou alguma outra técnica para incrementar os recursos da microscopia, mas guardou segredo do seu método.

Viveu 90 anos e fez 375 colaborações para o Philosophical Transactions e 27 para o Memoirs da Academia de Ciências de Paris. Duas edições completas de seus trabalhos apareceram ainda durante sua vida, uma em holandês (1685-1718) e outra em latim (1715-22).

R.Q.Cobra
Doutor em Geologia
e bacharel em Filosofia.
1997

Para citar este texto: Cobra, Rubem Queiroz - NOTAS: Vultos e episódios da Época Moderna. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 1997 ("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br)