COBRA PAGES
e seus
objetivos
--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE & BUSCA

 


Vultos e episódios da Época Moderna

Para retornar
à página de
COBRA PAGES
em que estava,
use a seta de
volta do seu
navegador

Bellarmino, Roberto Francesco Romolo ( São Roberto Bellarmino) (1542-1621), cardeal e teólogo, foi um dos maiores defensores do catolicismo contra os protestantes. Jesuíta em 1560, estudou em Roma e Pádua, ordenou-se em Louvain, Bélgica, onde lecionou teologia. Voltando à Itália, foi feito cardeal em 1599 pelo papa Clemente VIII, a quem ajudou na preparação da vulgata da Bíblia (159l-92) expurgando os erros da vulgata anterior de Sixtus V. Grande teólogo, dedicou-se ao estudo das controvérsias religiosas: escreveu entre 1586-93 "Lições Relativas às Controvérsias da Fé Cristã contra os Hereges Contemporâneos". Mais tarde salvou Galileu da condenação aconselhando-o, privadamente, - antes do processo -, que tomasse a doutrina de Copérnico como hipótese. Dedicou-se grandemente aos pobres a quem destinava todos os seus rendimentos, vindo a morrer pobre.

Foi importante também na disputa da controvérsia gálica, que estava em pretender Luís XIV que, como rei da França, podia limitar a autoridade papal recebendo os rendimentos das dioceses vacantes, e outros pontos de desentendimento, enquanto os chamados "ultramontanheses" ou "transmontanos" consideravam o papa a suprema autoridade. A denominação identificava aqueles que olhavam "além dos Alpes" apoiando o Papa contra o forte nacionalismo e o liberalismo teológico francês. Os ultramontanheses eram apoiados pelos jesuítas na França. O Cardeal Roberto Bellarmino deu forma definitiva à teoria da supremacia do papa sobre o monarca nas suas obras Disputationes (3 vol., 1586 a 93) e De Potestate summi pontificis in rebus temporalibus (1610). Prevaleceu um grupo católico moderado, convencido da necessidade de apoiar uma monarquia forte que impedisse os excessos tanto dos ultramontanheses como dos protestantes huguenots, o que consolidou o absolutismo de Luís XIV.

R.Q.Cobra
Doutor em Geologia
e bacharel em Filosofia.

1997

Para citar este texto: Cobra, Rubem Queiroz - NOTAS: Vultos e episódios da Época Moderna. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 1997 ("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br)