COBRA PAGES
e seus objetivos
 

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Filosofia no Brasil - Temas de Filosofia - Psicologia e Filosofia da Educação - Teatro Pedagógico - Higiene - Boas Maneiras e Etiqueta - Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO - ÍNDICE

 

PMF-perguntas
mais freqüentes


Quem somos

 
 
 

NOVIDADES DO SITE

BRENTANO

Página de Educação e Comportâmento
escrita por Rubem Queiroz Cobra
(Site original: www.cobra.pages.nom.br)

 

Franz (Clemens) Brentano, (1838-1917), ex-sacerdote católico e filósofo alemão, geralmente considerado o fundador do intencionalismo, que se ocupa dos processos mentais mais que com o conteúdo da mente, e da psicologia que hoje é chamada psicologia existencial. Era sobrinho do poeta Clemens Brentano. Foi professor livre, Privatdozent em filosofia (1866) e professor nomeado (1872) na universidade de Würzburg. Deixou o sacerdócio em 1873. Seu livro mais famoso e influente foi Psychologie vom empirischen Standpunkte (Psychology from an Empirical Standpoint. Trad. de A. C. Rancurello, D. B. Terrell, and L. L. McAlister. Ed. Routledge & Kern Paul, Londres, 1973; 448 p. - "A Psicologia de um ponto de vista empírico"), de 1874, no qual tenta apresentar uma psicologia sistemática que seria a ciência da alma.

Ele reviveu e modernizou a teoria escolástica da "existência intencional" ou, como ele chamou, "objetividade imanente". Segundo ele, no fenômeno psíquico, já existe um "direção da mente para um objeto", a pessoa "vê alguma coisa". Ele sugeriu que, fundamentalmente, a mente pode referir-se aos objetos de três maneiras:

a) por percepção e idealização, incluindo sensação e imagem.

b) por julgamento, incluindo atos de reconhecimento, rejeição, e recordação; e

3) por amor ou ódio, o que leva em conta desejos, intenções, vontade e sentimentos

Em 1874 Brentano foi designado professor na Universidade de Vienna. Sua decisão de se casar em 1880 foi bloqueada pelas autoridades austríacos, que não aceitaram sua renúncia às ordens sacras e, considerando-o ainda um clérigo, recusaram-lhe a permissão para o matrimônio. Foi forçado a deixar seu posto de professor na universidade e mudar-se com a esposa para Leipzig. No ano seguinte teve permissão para voltar à universidade, porém somente para a antiga posição de professor livre, cujo salário dependia de quantos alunos escolhessem sua disciplina. Lá permaneceu até 1895. Gozava de grande popularidade entre os estudantes, entre os quais estavam Sigmund Freud, o psicólogo Carl Stumpf, e o filósofo Edmund Husserl.

É impressionante o quanto provavelmente Brentano influenciou a Freud. Este assistiu suas aulas por pelo menos dois anos, e exatamente na época que Brentano publicou seu famoso livro de 1874, no qual seu equacionamento entre o físico e o psíquico, o psicossomático, é mais salientado. O quanto Freud retirou de Schopenhauer foi provavelmente através de Brentano, citado inúmeras vezes no referido livro, no qual Brentano também discute amplamente Nicolau von Hartman, precisamente na questão dos estados mentais inconscientes.

Outras obras importantes de Franz Brentano foram Untersuchungen zur Sinnespsychologie ("Pesquisa em Psicologia dos Sentidos"), de 1907, e Von der Klassifikation der psychischen Phänomene ("Sobre a classificação dos fenômenos psicológicos"), de 1911, este último completando sua obra prima de 1874, o Psychologie vom empirischen Standpunkte.

Rubem Queiroz Cobra

Aberta em 05/06/2001

Direitos reservados. Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. - Franz Brentano. COBRA PAGES: www.cobra.pages.nom.br, Internet, Brasília, 2001.
("Geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de COBRA.PAGES)

 Utilize a barra de rolagem desta janela de texto para ver as NOVIDADES DO SITE
Obrigado por visitar COBRA PAGES