COBRA PAGES
e seus
objetivos
--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Filosofia no Brasil - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação - Teatro Pedagógico - Higiene - Boas Maneiras e Etiqueta - Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE

 
 
 

NOVIDADES DO SITE

Filósofos brasileiros:resumos de época, vida e obras

Página escrita por
Rubem Queiroz Cobra.
Site original: www.cobra.pages.nom.br

 

Matias Aires (1705-Desc). Um iluminista brasileiro nascido em São Paulo, Mathias Aires Ramos da Silva de Eça (1705-1770) deu uma contribuição sua para a História da Psicologia com as suas obras "Reflexões sobre a vaidade dos homens" (1752) e o Problema de architetura civil demonstrada (1777). Nelas, ele expressa alguns aspectos do novo espírito do Século das Luzes aplicado ao estudo do homem: a tendência à introspecção; o interesse pela investigação das relações homem-sociedade; a recusa da tradição cultural anterior; a procura de novas verdades sobre o homem e a confiança na ciência moderna como método de conhecimento. O Reflexões teve 5 edições entre 1752 e 1786.

Matias Aires, onsiderado filósofo moralista e filósofo psicólogo, reconhecido por historiadores portugueses como uma "das mais valiosas contribuições do Brasil colonial para o cabedal literário da metrópole", foi educado em Portugal, para onde viajou com os pais aos 11 anos de idade.

Estudou humanidades no Colégio de Santo Antão dos padres jesuítas, diplomou-se na Universidade de Coimbra. Estudou na França, Direito civil e canônico, tendo estudado também hebraico, física e matemática. projetou-se como letrado e filósofo sob Dom João V, o megalômano imitador de Luiz XIV, e viveu até a época pombalina; assistiu ao terremoto de 1 de novembro de 1755 de Lisboa e ao processo dos Távoras e da marquesa de Alorna pelo atentado ao rei. O seu Discurso congratulatório pela felicíssima convalescença e real vida d'El Rei D. José que fora vítima de um atentado atribuído aos Távora é uma oração de cumprimento e ação de graças ao Reipela sua recuperação dos ferimentos recebidos naquele atentado. Escreveu também Philosophia rationalis; Letres bohemiennes; Discours panegyrique sur la vie et actions de Joseph Ramos da Silva;  Carta sobre a fortuna; e várias outras obras, algumas de filosofia, em francês e latim, hoje desaparecidas e conhecidas apenas por citações em outros autores.

Morreu em Lisboa entre 1759 e 1770.

Pensamentos seus: "O nosso engenho todo se esforça em por as coisas em uma perspectiva tal, que vistas de um certo modo, fiquem parecendo o que nós queremos, que elas sejam, e não o que elas são."

"O discurso é como um instrumento lisonjeiro, por meio do qual vemos as coisas, grandes ou pequenas, falsas ou verdadeiras."

"O nosso pensamento não se acomoda às coisas, acomoda-se ao nosso gosto. O amor, a vaidade, e o interesse são os moldes em que as coisas se formam e configuram para se apresentarem a nós."

Considerava que todas as ações humanas derivavam do amor próprio, na vaidade.

Rubem Queiroz Cobra

R.Q.Cobra
Doutor em Geologia
e bacharel em Filosofia.
Página lançada em. 15-01-2011

Direitos reservados.
 Para citar este texto:
Cobra, Rubem Q. - Filósofos brasileiros:resumos de época, vida e obras. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 2011. 
("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br).

Utilize a barra de rolagem desta janela de texto para ver as NOVIDADES DO SITE
Obrigado por visitar COBRA PAGES  

Todos os links desta página devem estar funcionando. Se há um link nesta página que não está funcionando, por favor, avise-me. Insira em sua mensagem o TÍTULO da página onde encontrou o link defeituoso. Fico-lhe antecipadamente agradecido pela cortesia de sua colaboração.
Rubem Queiroz Cobra