COBRA PAGES
e seus
objetivos
--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE

 

 

Resumos biográficos

Para retornar
à página de
COBRA PAGES
em que estava,
use a seta de
volta do seu
navegador

John Broadus Watson, psicólogo americano fundador da corrente behaviorista dentro da Psicologia, nasceu em 1878. O pai, violento e desordeiro, abandonou a família quando Watson contava 13 anos. Ambicioso e persistente, apesar de pobre conseguiu entrar para a Universidade Furman aos 16 anos. Recebeu o diploma de mestre após cinco anos de estudos, ingressando após na Universidade de Chicago para doutorar-se em psicologia em 1903. Mais cinco anos e foi nomeado professor de psicologia experimental e comparada na Universidade Johns Hopkins, em Baltimore.

Watson estudou as descobertas feitas Ivan Pavlov na mesma época de seu doutoramento, e desenvolveu pesquisas semelhantes em biologia, fisiologia e comportamento de animais, e também o comportamento da criança, concluindo que o comportamento humano era sob muitos aspectos semelhante ao comportamento animal. Com base nesta constatação e inspirado nas descobertas de Pavlov, criou dentro da Psicologia uma nova corrente, o Behaviorismo (Comportamentalismo). Segundo ele, o comportamento dos organismos complexos responde a situações de acordo com sua rede nervosa, a qual está condicionada pela experiência. Em 1913 ele publicou um artigo expondo suas idéias e estabelecendo as bases da nova corrente da psicologia, contrária à Psicanálise de Freud, que considerava fantasiosa. Desprezou também a hereditariedade como responsável por tipos de personalidade, que atribuía exclusivamente à experiência e ao condicionamento do comportamento.

Suas pesquisas com crianças e animais foram interrompidas pela Primeira Guerra Mundial. Ele serviu o exército americano como psicólogo. Posteriormente retornou à Universidade Johns Hopkins até 1920, quando perdeu sua condição de professor e pesquisador devido ter um caso com uma colega. Sua esposa divorciou-se e o escândalo levou a direção da Universidade a solicitar que se demitisse. Sempre criativo e com grande habilidade em promover-se, levou seu conhecimento de psicologia para o campo da propaganda, chegando a presidente da J. Walter Thompson, uma das maiores empresas de publicidade dos Estados Unidos.

R.Q.Cobra
20/04/2003 

Para citar este texto: Cobra, Rubem Queiroz - Educação e Comportamento: Resumos Biográficos. Site COBRA PAGES, www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 1997 ("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br).