COBRA PAGES
e seus
objetivos
--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE

 

 

 

Resumos biográficos

Para retornar
à página de
COBRA PAGES
em que estava,
use a seta de
volta do seu
navegador

Carl Ransom Rogers, psicólogo conhecido por sua linha psicológica voltada principalmente para a educação dos jovens, nasceu no estado de Illinois, em 1902, e faleceu em 1987 na Califórnia, Estados Unidos. De uma família profundamente religiosa do meio rural, deixou o projeto de cursar agricultura na Universidade de Wisconsin, transferindo-se para o curso de teologia a fim de se tornar pastor. Após diplomar-se em 1924, casou com Helen Elliot. O casal foi residir em New York, onde Rogers freqüentou o Seminário liberal da União Teológica, servindo também como pastor em uma pequena paróquia em Vermont como parte de seu treinamento. Passou também a colaborar com a Sociedade para Prevenção da Crueldade contra a Criança, que tratava crianças perturbadas, em Rochester. Por necessidade de melhor atuar nesse mister, estudou psicologia na Universidade de Colúmbia, diplomando-se em 1928.

Em 1940 Rogers tornou-se professor de psicologia na Universidade Estadual de Ohio, função que exerceu por cinco anos. É de 1942 seu primeiro livro, Counseling and Psychotherapy ("Orientação e psicologia"). Cumulativamente com o ensino universitário, tornou-se secretário executivo do Centro de orientação da Universidade de Chicago em 1945. Seu principal trabalho foi publicado em 1951 Client-Centered Therapy ("Terapia Centrada no Cliente"), no qual delineia seus pontos de vista.

Em 1957 deixou a Universidade de Chicago para retornar, como professor, à Universidade de Wisconsin, onde havia se formado em religião. Porém, as querelas entre os departamentos de psicologia e psiquiatria da Universidade não lhe permitiram permanecer no cargo. Obteve o cargo de pesquisador na Universidade La Jolla, na Califórnia, onde praticava psicoterapia, dava conferências e dispunha de tempo para escrever..

A técnica que havia desenvolvido, e que então pode aprimorar, consistia em respeitar a posição do cliente adotando uma atitude contraria à terapia autoritária que impunha análise. Interessava-lhe basicamente o desenvolvimento da personalidade, o "tornar-se pessoa", e procurava servir o cliente com os conhecimentos que lhe pudessem ser úteis para compreender suas próprias experiências e lidar com elas e, debaixo de sua orientação, descobrir ele mesmo as soluções. O terapeuta deveria ter congruência, autenticidade, e honestidade com o cliente, criar com ele uma empatia e assegurar-lhe respeito, aceitação, e consideração positiva incondicional. esses princípios colocam Rogers na mesma área da psicologia existencial de sua época e cujo exponente na Europa foi Ronald David Laing.

Rogers acreditava que as pessoas, após sua auto análise psicológica, têm suficiente força para alterar o conceito que fazem de si mesmas, suas atitudes e comportamento, e que o papel do terapeuta estava em estimular essa capacidade e orientá-las de modo útil. Seus 16 livros e mais de 200 artigos escritos focalizavam a atualização e amadurecimento da personalidade, na descoberta do Eu, no crescimento pessoal. Suas idéias ganharam grande aceitação na psicologia clínica e, principalmente, no campo da Orientação Educacional, e ele fez um esforço para adaptá-las também ao campo da diplomacia, na solução de conflitos regionais e internacionais. Com essa pretensão altamente idealista, reuniu-se com protestantes e católicos em conflito na Irlanda, com brancos e pretos para solucionar o racismo na África do Sul, e criou nos Estados Unidos o Projeto pela Paz, em 1985, o qual promoveu uma conferência em Rust, Áustria, entre diplomatas da América Central e do Sul para discutir "O Desafio da América Central". Esteve em seguida no Brasil, e fez sua última viagem internacional à União Soviética onde realizou conferências sobre o estímulo à comunicação e à criatividade. Em reconhecimento ao seu trabalho na Irlanda, na África do Sul e na América Central foi indicado candidato americano ao Prêmio Nobel da Paz em 1987, ano do seu falecimento.

R.Q.Cobra
Doutor em Geologia e bacharel em Filosofia
20/04/2003 

Para citar este texto: Cobra, Rubem Queiroz - Educação e Comportamento: Resumos Biográficos. Site COBRA PAGES, www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 1997 ("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br).