COBRA PAGES
e seus objetivos

--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Filosofia no Brasil - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação - Teatro
Pedagógico
- Higiene -
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE

 

Boa Educação no Trânsito: o que você pensa da FAIXA DE PEDESTRES? Para saber mais clique AQUI.

 
 

NOVIDADES DO SITE

VESTUÁRIO: AMBIENTE DE TRABALHO

Página escrita por
Rubem Queiroz Cobra
(Site original: www.cobra.pages.nom.br)

 

Páginas sobre
vestuário:

Ambiente de trabalho

Clima frio

Combinação de cores

Tipos e cores

Retorno a Vestir-se bem

 

A adequação do traje de trabalho tem a ver com a atividade, com o local e o horário em que será usado. Se não for um uniforme obrigatório, segue o que se recomenda para o traje em geral: considerar a idade e o físico da pessoa, combinar com a cor dos seus cabelos e da sua pele. Mas neste caso a roupa de trabalho, sofre ainda mais alguns controles: deve guardar uma certa harmonia de nível entre os empregados no sentido de que algum deles não exceda em luxo aos colegas, e sobretudo ao chefe. Porém, não há medidas para o bom gosto. Este não depende de luxo nem precisa respeitar hierarquias.

O funcionário irá vestir-se com o cuidado de não exceder em luxo, e também não usar um padrão de roupas inferior ao da média do que usam os colegas. Não esnobar, nem ficar por baixo Porém, não há limites para o bom gosto. Este não depende de luxo nem precisa respeitar hierarquias. É uma boa idéia manter-se a roupa para uso no trabalho sempre separada das que se usará para outros fins, em casa e na rua.

Roupa-de-trabalho, mulher.No trabalho, são consideradas inadequadas para a mulher roupas que são coladas ao corpo, curtas e sem mangas, com decotes grandes ou em tecidos transparentes ou brilhantes; a blusa deve ser opaca o bastante para esconder as costuras e alças do sutiã. Tecidos grossos demais, certos conjuntos de jeans, roupa de couro ou veludo, dão aparecia de ineficiência e pouco dinamismo.

São mais próprias roupas fartas, dentro do seu figurino, evitando cores baratas (preto, marrom, ou coloridos ralos, de pouca tinta), como também estamparia de desenho muito graúdo (grandes retângulos, grandes círculos, grandes folhas, etc.).

Roupa, sapatos e bolsa de cor branca devem ser evitados nos meses frios ou nos dias chuvosos.

Salvo quando a natureza do trabalho recomendar o contrário, é mais conservador e clássico o uso de saias, em vez de calças compridas. Os caprichos da última moda sempre parecem, inicialmente, extravagantes, e chocam as pessoas que não lêem revistas francesas e italianas. Por isso não é uma boa idéia para a mulher, ser muito vanguardeira em seus trajes de trabalho.

As meias compridas são um acessório importante para a elegância, desde que não sejam espessas e chamem atenção como se fossem meias ortopédicas.

Quanto a jóias e bijuterias, no trabalho é conveniente usar o mínimo em tamanho e quantidade. Brincos discretos e pequenos, cintos não muito largos, principalmente se forem de couro cru ou cadeia de metais.

Certa vez fui atendido em uma livraria pela própria dona da loja. Usava em uma das mãos um anel com uma grande pedra, e na outra um chuveiro com cinco brilhantes de meio quilate cada um. Elogiei a beleza da ametista, mas ela respondeu secamente: "É um rubi." Abstive-me de comentários sobre os brilhantes, mas pensei no quanto ela parecia ter vindo de uma grande noitada diretamente para sua livraria.

Os sapatos nunca são de plataforma alta, ou de salto muito alto; melhor que sejam delicados e de salto médio, e estejam sempre limpos, assim como a bolsa. Se a mulher tem que caminhar muito entre o local onde estaciona seu carro ou desembarca do transporte coletivo, e o local do trabalho, não precisa estragar pelas calçadas os sapatos de sua toilete. Pode utilizar um calçado robusto, adequado para a caminhada, que não prejudique muito a sua elegância, e levar em uma pequena sacola o par que usará no trabalho. Porém, usar para esse trajeto um tenis e meias brancas e curtas – um costume das americanas que chama a atenção em Nova York –, é um contraste muito desagradável de se ver.

Não é uma boa idéia para a mulher, ser muito vanguardeira em seus trajes de trabalho, e surpreender os colegas com as extravagâncias da última moda. Porém; usar roupas velhas e muito fora de moda, e sapatos deformados e sujos, é igualmente ruim.

Roupa-de-trabalho, homem. Para o homem valem recomendações bem parecidas. O uso de paletó e gravata é praticamente obrigatório como paramento da autoridade, tanto pública como privada. O modo de vestir-se de uma autoridade é sempre conservador. Os ternos são em cores escuras, listados ou não, a camisa branca, raramente azul claro, com punhos simples ou duplos, sapatos clássicos, de laço ou de fivelas, meias escuras e gravatas conservadoras. Tanto no governo quanto em empresas privadas os funcionários do alto escalão de chefia, podem usar blazer, mantendo a gravata. Em qualquer dos casos, a camisa a ser usada com o paletó é sempre de mangas compridas. O punho deve ultrapassar a ponta da manga do paletó cerca de 1 a 1,5 cm, ficando cobertas as abotoaduras ou o botão do punho da camisa. Esta, ao nível das assessorias, pode variar a cor, mantendo-se o bom gosto da combinação; os sapatos podem ser mocassins com borlas.

Fora do escalão das autoridades, públicas ou privadas, e das suas assessorias, os homens comumente usam, no máximo, paletó esporte de cor e padrão discretos, com gravata ,até apenas camisas de mangas curtas ou compridas com gravata, sem paletó.. As camisas sociais coloridas, com colarinho e punhos brancos, são um tanto pretensiosas e por isso o seu uso resvala para os limites do mau gosto, e as camisetas de barras coloridas e tenis também não são recomendaveis..

Jalecos e acessórios. Os homens usam o jaleco sobre a camisa de gola com ou sem gravata, as mulheres usam diretamente sobre o vestido ou blusa preferencialmente que tenham gola . Ao sair do ambiente de trabalho, o jaleco ou o guarda-pó deve ser despido, porque não é parte do traje social e sua função é restrita ao local da atividade. Jalecos usados em consultórios, hospitais, laboratórios e oficinas não interferem na vestimenta, exceto por dispensarem o paletó ou o blazer

Os suspensórios são pouco usados atualmente, e as calças vêm com alças para os cintos. Se o homem prefere manter as calças em posição com o uso de suspensórios, deve usar um cinto folgado para ocupar as alças, ou então mandar removê-las, ou encomendar calças a um alfaiate, sem esse detalhe

Os jeans nunca deixam de trair suas origens; ficam melhor para o trabalho no campo, no quintal, ou no jardim e nas oficinas. Sequer para o trabalho em um atelier de arte, um estúdio de fotografia, balcão de loja, ficam lá muito bem.

Não se usam meias claras ou brancas com sapatos escuros. As meias nunca devem ser de cano curto, pois deixam parte das pernas à vista quando o homem se senta. Sapatos engraxados – não se deve dar chance a alguém de saber de onde o outro vem, pelo barro nos seus sapatos –, roupas limpas e passadas, sem manchas, rasgos ou falta de botões, é um mandamento básico.

.ambientedetrabalhoCalderaro

Comportamento no ambiente de trabalho
BOAS MANEIRAS NO ESCRITÓRIO
Todos os aspectos do comportamento humano têm importância para a etiqueta. As normas da polidez não foram feitas para consumo exclusivo dos amigos, ou do relacionamento social em festas e reu¬niões. Por isso existem regras de boas maneiras regendo todo o ciclo de nossas vidas.
Se costumamos ser sempre bem-educados, por que os esforços nesse sentido cessariam nos escritórios? Apenas porque os homens estão en¬tre os seus iguais? Ou porque a linha de conduta no trabalho faz parte de um sistema imutável e automatizado? Um sistema no qual homens e mulheres são apenas funcionários-máquinas, contratados para cumpri¬rem determinado tipo de trabalho, sem tempo para perder com corte¬sia e amabilidades? Mas este é o tipo do conceito falso. Atualmente, o trabalho passou a ser fator essencial não só de sobrevivência, como de realização para homens e mulheres. Nessas circunstâncias, o compor¬tamento nos setores profissionais tornou-se fundamental. O próprio sucesso chega a depender dele.
NORMAS PARA OS FUNCIONÁRIOS
- O cumprimento é obrigatório tanto ao chegar quanto ao sair do seu local de trabalho. Cumprimentar não quer dizer iniciar uma conversa¬ção. Um bom-dia dito num tom agradável e atencioso é mais do que suficiente para começar o seu dia de trabalho. Peça aos colegas notícias de suas famílias, mas evite as questões indiscretas.
- Evite falar dos seus problemas pessoais no escritório. Quando preci¬sar faltar, ou tiver faltado, não invente doenças ou lutos, nem muito menos entre em confidências e detalhes sobre os seus planos para tal ou tal dia. Explique-se corretamente com o seu superior. Ele entenderá. Uma regra sobre toda: vida no escritório e a vida privada de cada um
217
nada têm em comum. São inteiramente distintas e assim devem conti¬nuar.
- Prestar um serviço ou trocar amabilidades não nos torna íntimos, mas bem-educados. Pode-se ser polido e cordial sem perder a noção da distância entre superiores, inferiores e até entre iguais. Aliás, a posição ideal é de respeito mútuo. Uma atitude clara e franca entre os colegas dos dois sexos evita equívocos futuros.
- Procure ser pontual, atencioso e cordial. Não deixe passar as oca¬siões de prestar pequenos serviços. A reciprocidade será uma conse¬qüência.
- Vista-se com discreta elegância. Sem exagero, mas sem desleixo. Se a apresentação pessoal é importante para você, o é muito mais para a organização onde trabalha.
- A discrição é a palavra de ordem, quer nas conversas surpreendidas involuntariamente, quer na correspondência de que é obrigado a to¬mar conhecimento, ou nos diálogos telefônicos, assuntos confiden¬ciais etc.
- Não impeça os outros de trabalhar sob o pretexto de contar o filme visto na noite anterior, ou os seus projetos para o fim de semana.
- Não precisa levantar-se para os diversos chefes de seção que passam por sua mesa, a menos que se trate de um chefe na pessoa de uma se¬nhora mais velha. Mas se é o diretor que se aproxima de sua mesa para transmitir-lhe uma ordem ou uma recomendação, não fique sentado como se fosse o seu superior. Levante-se e permaneça de pé, desde que não tenha uma cadeira para oferecer-lhe.
- Estando em desacordo com o seu superior, se a razão estiver do seu lado, não ceda por comodismo, ou por medo. Mantenha a sua posição, embora procurando não forçar a situação.
- Não adquira o hábito detestável de reclamar por tudo e por nada, nem muito menos faça comentários desagradáveis sobre a firma na qual trabalha e sobre o seu chefe, nem discuta as ordens recebidas. E não se irrite, nem se chateie por um simples não, ou por uma exigência a mais de trabalho. Não seja mal-humorado e procure tratar bem a to¬dos para se tornar simpático e, em conseqüência, receber igual trata¬mento. É da tolerância e das boas maneiras que depende, além dos seus contatos com os colegas, a boa impressão que causará aos seus superio-
res, clientes e visitantes. .
- Ao telefone, trate todos com igual cortesia, prestando as informa¬ções pedidas com clareza, sem demora e com entonação de voz agradá¬vel. Não faça os clientes esperarem sem um bom motivo e sem fornecer-lhes uma explicação razoável para a demora. E não remeta o cli-
218

 
ente de uma seção para outra só porque decidiu que ele é um chato. E, sobretudo, quando o cliente se apresentar no escritório; no banco, ou na loja, por favor, abandone por um momento suas atividades ou o seu bate-papo com os colegas e dê prioridade ao atendimento do cliente. O papo ou o pequeno serviço de que se ocupava podem esperar um pouco.
OBSERVAÇÃO
Seria aconselhável que o(a) funcionário(a) desistisse, de uma vez por todas, de se colocar em oposição sistemática ao seu superior. Se permanecer nessa atitude negativa, tanto um como o outro estarão condenados a um fracasso que atingirá ambos. As boas maneiras, que não são outra coisa senão o respeito entre superiores e inferiores, são também o reconhecimento das funções de ambos. É um acordo para uma participação comum num trabalho coletivo do qual depende o su¬cesso de todos.
SE VOCÊ É O CHEFE
Ao chegar ao seu escritório não atravesse as salas, nem entre na sua própria sem cumprimentar a todos que for encontrando. E, por favor, não obrigue os funcionários a sentirem as diferenças de hierarquia, de situação material, ou de posição social. Há dificuldades suficientes na rotina das horas de trabalho em comum. Aceite cada um com as suas peculiaridades de comportamento, desde que ostrabalhos corram sa¬tisfatoriamente. Não reclame o tempo todo e não conteste por hábito. Não demonstre o seu descontentamento com o andamento dos servi¬ços usando como arma a ironia. Se houver necessidade de chamar a atenção, faça-o com respeito pela dignidade humana. Será uma chance a seu favor para resolver os desacertos e conquistar a estima de todos. A indecisão, as insinuações e a arrogância corroem a autoridade e projetam uma imagem medíocre e desfavorável de sua pessoa.
Por outro lado, nem a sua pressa, nem o seu cansaço, ou a sua posi¬ção superior devem impedi-lo de concluir o seu dia com uma palavra de estímulo para aqueles que o ajudaram a executar o seu trabalho.
Concluindo, qualquer que seja o seu lugar na administração pública, ou privada, hão force suas atitudes. Mantenha uma posição firme e coerente, porém compreensiva e calma (se possível). E, ao dar suas ordens, procure ser objetivo e claro sem impor suas determinações, ou os seus pontos de vista exclusivamente pessoais. Reconhecer os pró¬prios enganos e aceitar sugestões é uma prova de inteligência. E que Deus ajude!

219

 

Rubem Queiroz Cobra

Lançada em
00/00/2001

Direitos reservados. Texto impresso original depositado no Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional, o que permite que o Site COBRA PAGES seja citado em qualquer trabalho de divulgação de suas matérias. Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. - Vestuário: ambiente de trabalho. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 2003 ("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br).

Utilize a barra de rolagem desta janela de texto para ver as NOVIDADES DO SITE
Obrigado por visitar COBRA PAGES