COBRA PAGES
e seus objetivos

--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Filosofia no Brasil - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação - Teatro
Pedagógico
- Higiene -
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE

 

Boa Educação no Trânsito: o que você pensa da FAIXA DE PEDESTRES? Para saber mais clique AQUI.

 
 

NOVIDADES DO SITE

 

VESTIR-SE BEM

Página escrita por
Rubem Queiroz Cobra
(Site original: www.cobra.pages.nom.br)

 

Páginas sobre
vestuário:

Ambiente de trabalho

Clima frio

Combinação de cores

Tipos e cores

 

As roupas que as pessoas usam se classificam em pelo menos seis categorias de luxo, elegância, e conforme o uso e os cuidados que merecem:

1. O traje a rigor para os eventos em que é solicitado (vestidos de baile, casaca, smokings, etc.) .

2. O traje social para cerimônias, por exemplo, nos casamentos.

3. O traje esporte fino para fazer compras em shopping e ir ao restaurante de classe ou a um cinema.

4. O traje de trabalho, se não é um uniforme.

5. O traje esportivo informal, de praia e jogos, ou com que fazem as compras em supermercados; e finalmente,

6. As roupas de uso doméstico, que trocam quando vão sair de casa.

Estas categorias ainda se subdividem conforme as estações do ano, em pelo menos duas, inverno e verão.

Escolher as peças para esse elenco de categorias não pode ser fácil, mas a razão para que seja feita com cuidado é bem simples: o modo como nos apresentamos interessa à nossa auto-estima, e mostra respeito pela auto-estima dos outros. Essa razão é suficiente para que a matéria seja objeto das disciplinas Boas Maneiras e Etiqueta.

Ao vestir-se, a pessoa deve considerar sua idade e o seu físico, e combinar a cor da roupa com a cor dos seus cabelos, da sua pele e dos acessórios que usar. A palavra umi-sexo aplicada ao vestuário nunca logrou firmar-se ou mesmo fazer sentido. No vestuário feminino evitar padronagens com coloridos ralos, de pouca tinta, ou estamparia de desenho muito graúdo (grandes retângulos, grandes círculos, grandes folhas, etc.).

A moda. Consciente das linhas da última moda, logo que as novas criações são lançadas nos países da alta costura, a mulher precisa levar em conta o quanto vai chocar as pessoas que ignoram esses lançamentos.Os caprichos da última moda sempre parecem, inicialmente, extravagância e mau gosto; é quase uma consideração para com as pessoas não ser muito vanguardeira e procurar modelos que representem uma transição. Assim aconteceu com a moda da mini saia. Enquanto algumas adotavam radicalmente o novo corte, mulheres mais ciosas de sua posição e elegância apenas encurtaram as saias adotando a tendência, sem extremismos. Quando Jorge Armani desestruturou os ternos masculinos fazendo-os parecer sacos pendurados à cintura ou jogados sobre os ombros, a maioria dos homens elegantes apenas adotou manequins mais folgados, sem abandonar as linhas retas clássicas. Quando Le Verre criou os copos para vinho bojudos em excesso e com pés de um palmo de comprimento, de modo que não precisavam ser levantados pois já estavam acima do queixo do comensal à mesa, houve frequentadores de restaurantes que pediram ao garçom a troca das peças, preferindo o tamanho clássico, até que começaram a ser fabricados os medianamente maiores, sem os exageros do lançamento. Por isso me parece que o melhor é seguir a moda só depois que estiver bem assente ou bem aceita, e assim mesmo, com moderação.

Acessórias. Tipos de vestimenta ou de objeto que cumprem uma função adicional e complementar com a roupa. Contam-se como acessórios permanentes sapatos, cintos, suspensórios, meias, lenços, e gravatas. Contam-se como acessórios ocasionais o sobretudo, os pulôveres, xales, luvas, uniformes de trabalho, jalecos, macacões, chapéus, bolsas, etc. Essas peças devem guardar relação de cor e consistência com as roupas que complementam, e serem tratadas com os mesmos cuidadas. No seu uso deve ser observado tudo que for pertinente a Boas-maneiras e Etiqueta. Por exemplo: o homem não entra numa sala vestido com capa de chuva ou sobretudo, e guarda-chuva na mão. Deixa esses acessórios no vestíbulo, a um canto, se não houver um móvel ou cômodo para esse fim. O mesmo no teatro ou sala de concerto, a menos que não haja chapeleiro com um funcionário para dar a senha.

Uma bolsa feminina ou uma pochette masculina complementam e são como extensões dos bolsos; o cinto um recurso de ajuste da roupa ao corpo, os sapatos um reforço à proteção dos pés, etc. O chapéu masculino e feminino são complementos que assumiram as funções dos capuzes. Por sua vez, o guarda-chuva, ou guarda-sol, substitui ou complementa o chapéu. Jalecos, usados em consultórios, hospitais, laboratórios e oficinas não interferem na vestimenta, exceto por dispensarem o paletó ou o blazer durante o trabalho. Os suspensórios são pouco usados atualmente, e as calças vêm com alças para os cintos. Se o homem prefere manter as calças em posição com o uso de suspensórios, deve usar um cinto folgado para ocupar as alças, ou então mandar removê-las, ou encomendar calças a um alfaiate, sem esse detalhe.

Jalecos. Usados em consultórios, hospitais, laboratórios e oficinas, os jalecos não interferem na vestimenta, exceto por dispensarem o paletó ou o blazer durante o trabalho.

Jeans. Os jeans nunca deixam de trair suas origens; ficam melhor para o trabalho no campo, no quintal, ou no jardim e nas oficinas. Fora desse ambiente “rural” não ficam lá muito bem. No entanto, de tempos em tempos os estilistas conseguem fazer com que se tornem moda, principalmente entre as mulheres magras.

Meias. Não se usam meias claras ou brancas com sapatos escuros. As meias nunca devem ser de cano curto, pois deixam parte das pernas à vista quando o homem se senta.. As meias compridas para a mulher são um acessório importante para a elegância, desde que não sejam espessas e chamem atenção como se fossem meias ortopédica.

Roupa, sapatos e bolsa de cor branca devem ser evitados nos meses frios ou nos dias chuvosos.

Constrangimentos. Acontecem em circunstâncias que não são raras: quando duas pessoas se apresentam em um evento com roupas iguais, quando se esquece uma etiqueta de marca visível, p. ex.. Não é menor o embaraço resultante para uma mulher, quando não cuida em saber o tipo de roupa requerida, e se apresenta com um traje próprio para um coquetel elegante, e todos os demais usam roupas informais ou algum traje temático de que ela não foi avisada.

Reuni em algumas páginas o que me pareceu de mais interessante no assunto: a combinação de cores entre peças e acessórios nos conjuntos em Vestuário: combinação de cores na indumentária, sobre roupas para uso no trabalho na página Vestuário: ambiente de trabalho, como enfrentar o frio, em Roupas: viagens a países frios, e conselhos sobre a escolha das cores de acordo com a aparência física da pessoa na página Tipos e Cores. 

Rubem Queiroz Cobra

Lançada em 03/10/2003

Direitos reservados. Texto impresso original depositado no Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional.
  Para citar este texto:
Cobra, Rubem Q. - Vestir-se bem. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 2003 ("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br).

Utilize a barra de rolagem desta janela de texto para ver as NOVIDADES DO SITE
Obrigado por visitar COBRA PAGES