COBRA PAGES
e seus objetivos

--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Filosofia no Brasil - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação - Teatro
Pedagógico
- Higiene -
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE

 

Boa Educação no Trânsito: o que você pensa da FAIXA DE PEDESTRES? Para saber mais clique AQUI.

 
 

NOVIDADES DO SITE

Rito do Batismo
(antigo)

Página escrita por
Rubem Queiroz Cobra
(Site original: www.cobra.pages.nom.br)

 

RITO DO BATISMO

“É evidente que, por meio das cerimônias, a administração dos Sacramentos se reveste de maior respeito e santidade. Elas põem quase que à vista os admiráveis e grandiosos efeitos, que se ocultam no Sacramento; e fazem também calar mais ao vivo, no ânimo dos fiéis, a infinita grandeza dos benefícios de Deus.” (Catecismo Romano II II 58)

 

PRIMEIRA PARTE

I. O Interrogatório

À porta da igreja:

O Sacerdote. N., que vens pedir à Igreja de Deus?

O Padrinho. A fé.

S. E para que te serve a fé?

P. Para a vida eterna.

S. Pois bem; se queres entrar na vida eterna, guarda os mandamentos: Amarás ao Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma, e com todo o teu espírito, e ao próximo como a ti mesmo.

II. Insuflação

O sacerdote sopra três vezes, em forma de cruz, sobre o rosto do Batizando:

 Sai desta criança, espírito imundo, e dá lugar ao Espírito Santo Consolador.

III. Sinal da Cruz

Com o polegar da mão direita, traça o sinal da cruz na fronte e no peito da criança:

Recebe o sinal da Cruz na fronte e no coração, crê nos preceitos divinos, e em tua conduta sê tal que mereças ser o templo de Deus.

Oração. Guardai Vosso escolhido (escolhida), Senhor, que acaba de ser marcado com o sinal da Cruz; e pela prática de Vossos mandamentos; possa ele chegar à glória da regeneração. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

IV. Imposição das mãos

Põe a mão sobre a cabeça da criança:

Afastai dele, Senhor, toda a cegueira de coração, quebrantai os laços com que Satanás o prendeu, e fazei que, marcado com o sinal da Vossa sabedoria, seja preservado da infecção dos vícios. Pelo mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

V. Imposição do sal

Põe na boca da criança um pouco de sal benzido – símbolo da sabedoria – preservativo, pela doutrina evangélica, da corrupção dos vícios e obstáculo a que as más paixões cresçam na alma:

N., recebe o sal da sabedoria, que te sirva de proveito para a vida eterna.

Amém

Que a paz seja contigo.

E com teu espírito.

Oração. Senhor, que vosso servo, que, pela primeira vez, prova deste sal, não venha, de futuro, a ter fome, mas antes se possa nutrir dos alimentos divinos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

SEGUNDA PARTE

VI. Exorcismo

Ao traçar por três vezes o sinal da cruz sobre a criança o sacerdote diz:

Eu te conjuro, espírito imundo, em nome do Pai + e do Filho + e do Espírito + Santo, a saíres para bem longe deste servo de Deus. O que to ordena, anjo maldito, anjo condenado, é Aquele mesmo que um dia caminhou sobre o mar e estendeu a mão a Pedro que se afogava. Demônio maldito, reconhece a sentença pronunciada contra ti, e sai já deste servo de Deus N.

VII. Sinal da cruz

Traça uma cruz sobre a fronte da criança:

E o sinal da santa cruz + que eu lhe imprimo na fronte tu, Satanás maldito, jamais ouses violá-lo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

VIII. Imposição das mãos

Impõe a mão direita sobre a cabeça da criança:

Senhor, dignai-Vos iluminar o Vosso servo com a luz da Vossa inteligência; purificai-o, santificai-o para poder ser digno da graça batismal. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

IX. Entrada na Igreja

O ministro cobre-se, impõe a ponta esquerda da estola sobre a cabeça da criança, e a introduz na Igreja, dizendo:

N., entra no tempo de Deus, para teres parte com Cristo na vida eterna.

X. Recitação do Credo e do Pai Nosso

Ao entrar na igreja o padrinho e a madrinha, em nome da criança recitam em voz alta, com o

Sacerdote o Credo e o Pai Nosso.

Creio em Deus Pai todo poderoso [...]

Pai nosso que estais no Céu [...]

TERCEIRA PARTE

XI. Exorcismo solene

Chegado à pia batismal, o ministro traça três vezes o sinal da cruz sobre a criança e diz:

Eu te conjuro, espírito imundo, em nome de Deus Pai onipotente +, em nome de Jesus Cristo, nosso Senhor e nosso Juiz +, e pela virtude do Espírito Santo +, a saíres desta criatura de Deus N., a quem nosso Senhor se dignou chamar a Seu templo, para se tornar templo de Deus Vivo. Pelo mesmo Cristo Nosso Senhor, que há de vir julgar os vivos e mortos e o mundo pelo fogo. Amém.

XII. O Ephpheta

O ministro umedece com saliva da sua própria boca o polegar da mão direita e com ele toca

as orelhas e as narinas do batizando, como fez Nosso Senhor, para curar o surdo-mudo.

Ephpheta, isto é, abre-te, e respira o perfume de Cristo. E tu, demônio, afasta-te, para longe, porque vem perto o Juízo de Deus.

XIII. Renúncia a Satanás

O padrinho responde em nome da criança:

Sacerdote. N., renuncias a Satanás?

Padrinho. Renuncio.

S. E a todas as suas obras?

P. Renuncio.

S. E a todas as suas pompas?

P. Renuncio.

XIV. Unção do óleo

O Sacerdote faz uma unção em forma de cruz sobre o peito e entre as espáduas da criança, com o óleo dos catecúmenos:

Eu te unjo com o óleo da salvação em Jesus Cristo, Nosso Senhor, para teres a vida eterna. Amém.

XV. Profissão de fé

O Sacerdote tira a estola roxa, põe a branca e diz:

No Pai.

Sacerdote. N., crês em Deus Pai onipotente, Criador do Céu e da Terra?

Padrinho. Creio.

No Filho.

S. Crês em Jesus Cristo, Seu único Filho, Nosso Senhor, que padeceu e morreu?

P. Creio.

No Espírito Santo.

S. E crês também no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna?

P. Creio.

QUARTA PARTE

XVI. O Batismo

S. N., queres ser batizado?

P. Quero.

Os padrinhos sustentam a criança, e o sacerdote derrama-lhe por três vezes a água batismal sobre a cabeça, em forma de cruz, porque é em nome da SS. Trindade que se batiza, segundo a palavra de Jesus: “Ide, ensinai os povos, e batizai-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Ao mesmo tempo pronuncia a fórmula:

N., EGO TE BAPTIZO, IN NOMINE PATRIS +, ET FILII +, ET SPIRITUS + SANCTI.

[N., eu te batizo em nome do Pai (primeira infusão da água), e do Filho (segunda), e do Espírito Santo (terceira)]

Mergulhada nas águas batismais, a alma “é sepultada com Jesus pelo Batismo em sua morte, e ressuscita com Ele para uma vida nova”, diz São Paulo.

XVII. Unção batismal

O sacerdote unge a cabeça do neófito com o Santo Crista porque, diz o Catecismo de Trento, “desde este momento o batizado, unido a Jesus, seu chefe, faz parte do Seu corpo como um dos Seus membros, e toma o nome de cristão do próprio nome de Cristo, que quer dizer, ungido ou crismado”.

Que Deus onipotente, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, já que te fez renascer pela água e pelo Espírito Santo, e te concedeu a remissão dos pecados, te unja com o Crisma da salvação +, pelo mesmo Jesus Cristo, para a vida eterna. Amém

A paz seja contigo.

E com o vosso espírito.

XVIII. Entrega da veste branca

O Sacerdote põe sobre a cabeça do batizado um pano branco – que lembra a veste branca que os neófitos traziam outrora durante oito dias – símbolo da pureza da alma lavada do pecado original nas águas batismais.

Recebe a veste branca, e leva-a sem mancha ao tribunal de Nosso Senhor Jesus Cristo para teres a vida eterna.

Amém.

XIX. A vela acesa

Entrega à criança ou ao padrinho uma vela acesa:

Recebe esta vela acesa, e guarda o teu Batismo dum modo irrepreensível. Observa os mandamentos de Deus, para que, quando o Senhor vier a convidar-te para as núpcias eternas, possas ir ao Seu encontro com todos os Santos da corte celeste, e viver da verdadeira vida, por todos os séculos dos séculos.

Amém.

XX. Saudação final

O Sacerdote termina, dizendo:

N., vai em paz, e o Senhor seja contigo.

Amém.

Os nomes do batizado, do ministro do batismo, dos pais e dos padrinhos são então inscritos nos registros da Igreja paroquial

---------------

Missal Quotidiano e Vesperal: por Dom Gaspar Lefebvre. Bruges: Desclée de Brouwer & Cie, 1955, p. 1850-1856.
http://www.saopiov.com

NOTA: Além desse ritual breve, a cerimônia poderá, a critério do sacerdote ou conforme combinado com a família, ser prolongada com rituais complementares sugeridos no RITUAL ROMANO;

R.Q.Cobra
29/12/2012

Direitos reservados. Texto impresso original depositado no Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional.
Para citar este texto
: Cobra, Rubem Q. - Rito do Batismo. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 2012 
("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br).

Utilize a barra de rolagem desta janela de texto para ver as NOVIDADES DO SITE
Obrigado por visitar COBRA PAGES