COBRA PAGES
e seus objetivos

--
Quem somos

reg.

COBRA PAGES: páginas em Educação e Cultura
Filosofia Moderna -  Filosofia Contemporânea - Filosofia no Brasil - Temas de Filosofia - Psicologia e Educação - Teatro
Pedagógico
- Higiene -
Boas Maneiras e Etiqueta -
Contos - Restauro - Genealogia - Geologia - Livros do Autor - CONTACTO

 

PMF-perguntas
mais freqüentes

ÍNDICE

 

Boa Educação no Trânsito: o que você pensa da FAIXA DE PEDESTRES? Para saber mais clique AQUI.

VERBETES E ÍNDICAÇÃO GERAL DAS PÁGINAS DE
  Boas-maneiras e Etiqueta

Página escrita por
Rubem Queiroz Cobra
(Site original: www.cobra.pages.nom.br)

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V X Y W Z 

M

Macerador ou Raspador de gelo. Existem de vários tipos. O mostrado na Fig. M-1, 5, tem um mecanismo de moinho.

Magnífico. V.p.f. a página Pronomes de tratamentonhor

Manhatan. V.p.f. Aperitivos, coqueteis e licores.

Manteiga. V.p.f. Como se come.

Fig. M-1

Mãos. É imperioso que estejam sempre limpas, e lavar as mãos é obrigatório antes das refeições, e ao chegar em casa, principalmente depois de passar pelo comércio ou utilizar transporte público.

NOTA: O aperto de mão quando esta está suada, suja e pegajosa, e as unhas dos dedos estão crescidas e abrigam sujeira, causa repulsa. Desde muito cedo os meninos e as meninas devem ser ensinados a cuidar das unhas dos pés e das mãos.

Aos meninos basta aprender a usar um cortador de unhas e a mantê-lo em sua caixinha ou gaveta pessoal, em casa. Os homens podem utilizar esse mesmo instrumento, simples e barato, em lugar de tentar cortar as unhas com tesouras grandes ou ponta de faca ou canivete. Ter um cortador de unhas em casa é conveniente mesmo para os que preferem pagar o serviço nas barbearias que oferecem manicuras para limpeza, corte, polimento e verniz.

As meninas e as mulheres, mais que os homens, atentam para o cuidado com as unhas, mas não deveriam esperar até que a pintura fique em muito mal estado para refazê-la. Esmaltes de cores claras contribuem mais para o aspecto de limpeza e elegância das mãos femininas, que os esmaltes de cores escuras.

Mãos, à-mesa. Em uma mesa posta e servida à inglesa (no Brasil, o tradicional), as mãos descansam no colo. Em uma mesa posta e servida à francesa, as mãos descansam sobre a mesa, apoiadas principalmente nos punhos. V.t.b. Boas-maneiras à mesa.

Marasquino. V.p.f. Aperitivos, coqueteis e licores.

Margarita. V.p.f. Aperitivos, coqueteis e licores.

Marguerita. [do it. Margherita] Tipo simples e popular de pizza, em que a massa recebe uma cobertura de queijo, fatias finas ou massa de tomate, e folhas de manjericão.

NOTA. Esta pizza é definida por seus três ingredientes típicos escolhidos originalmente em função de suas cores típicas, correspondentes às cores da bandeira italiana: a vermelha, do tomate; a branca, do queijo muzzarela; e a verde, do manjericão. Os historiadores da Culinária contam que foi apelidada Marguerita em homenagem à rainha Margherita, esposa do rei da Itália Humberto de Sabóia, que teria sido a primeira a experimentá-la e aprová-la.

Martini. V.p.f. Aperitivos, coqueteis e licores

Mau-hálito. V.p.f. Sin: Halitose.

Medidor. Mede as doses (25 a 30 gramas ou 1 onça) a serem misturadas em um coquetel. Fig. M-1, 6.

NOTA. Muitos anfitriões acham que devem servir doses “generosas” de bebida e não querem parecer sovinas, utilizando um medidor. É preferível ver-se o medidor como um equipamento útil à virtude da moderação, e uma garantia de que nada vai sair errado.

Menu. [Pron. “mení”] Carta que indica opões de pratos em um restaurante, ou que descreve a refeição a ser servida quando os pratos estão predeterminados pelo anfitrião. V.t.b. Refeicao: roteiro completo

NOTA: No caso do menu fixo, o convidado não solicita nada diferente do que é oferecido pelo anfitrião. Em caso de dieta especial, essa condição deve ser previamente comunicada, para que um prato seja servido à parte ao convidado.

 

Mesa, assentos1. Pela sua complexidade, a disposição dos lugares à mesa é um dos principais problemas do cerimonial oficial ou privado, tanto em reuniões como em recepções para refeições sentadas. Em sua solução estão envolvidas a Etiqueta e, indiretamente, também a História. A Etiqueta, uma disciplina técnica, faz a qualificação da posição dos assentos. Determina como mais valiosos os que têm melhor vista do salão, ou contam com espaço mais amplo e melhores condições para serem servidos, um maior número de interlocutores,  estão no meio de um numero igual de assentos de um e outro lado, etc.. Podem ser referidos como “A” e “B”. A partir destes, qualificam-se os demais assentos em ordem decrescente de importância conforme estejam mais próximos ou mais distantes deles.   Historicamente, duas disposições se consagraram, a inglesa, com A e B nas cabeceiras, e a francesa, A e B nos lados da mesa.Fig. M-2.

 

NOTA. A classificação de importância dos assentos é, portanto, primeiro física, e a esta se sobrepõe a hierárquica de importância dos convidados para sua ocupação.

Fig. 3

Mesa, assentos3 à-inglesa. Na categorização dos assentos à inglesa, às refeições o chefe da família, ou anfitrião, ocupa a cabeceira da mesa, “A”, e sua mulher a outra cabeceira, “B”. Este é, historicamente, o posicionamento tradicionalmente observado no Brasil desde a época colonial. Esta é a categorização que foi adotada em Portugal, cuja corte teve intimidade histórica com a corte da Inglaterra – país que chegou a ter uma rainha portuguesa, Catarina de Bragança, filha de D. João IV –, e depois a implantou no Brasil. Essa disposição é obedecida igualmente em mesas de reuniões. A Fig.M-3 mostra a posição dos anfitriões e a distribuição de homens (H) e mulheres (M), nos lugares segundo sua importância.

Mesa, assentos4 à-francesa. Na disposição francesa dos lugares, valida para refeições e reuniões formais, ninguém senta nas extremidades da mesa. Os assentos ocupados pelos anfitriões, “A” e “B”, estão no meio da mesa, um frente ao outro. A  Fig. M-4  mostra a posição dos anfitriões e a distribuição de homens (H) e mulheres (M), nos lugares segundo sua importância.

Fig. M-4

NOTA: Deve-se optar claramente por um dos dois sistemas, tentar misturá-los, colocando os anfitriões nas cabeceiras (à inglesa) e os convidados mais importantes no centro de cada lado de uma mesa longa desfaz a precedência que lhes é devida.

Mesa, assentos5. Se mais de uma mesa são usadas na recepção  – como em geral ocorre em um salão,  os lugares cativos A e B (reservados à anfitriã e ao anfitrião) são os dois lugares extremos, um em cada uma das mesas mais afastadas entre si, e que se opõem diagonalmente no recinto. Lugares de honra são à direita de cada um destes postos. Outros assentos, de importância secundária, estão em cada uma das demais mesas, a partir da posição mais privilegiada “A”, em cada uma delas, olhando para o centro do salão. V.tb.a página Lugares à mesa

Mesa, marcadores-de-lugar. Marcadores de lugar são colocados para indicar a cada convidado onde deve tomar assento, tanto à mesa de refeição em recepções como em reuniões formais. Os dizeres devem reduzir-se a duas ou três palavras que são o nome e sobrenome do convidado, ou convidada, precedido de Sr. ou de Sra. O nome do meio pode ser acrescentado quando for necessário distinguir entre homônimos. Não utilizando cartões, o anfitrião ou a anfitriã convidam as pessoas a sentar, acompanhando-as aos lugares que lhes cabe.

NOTA: Cartões com o nome da pessoa à qual o lugar está reservado é muito prático, quando há um grande número de lugares (mais de seis pessoas). Para esse feito prático pode ser adotado mesmo em refeições informais e neste caso apenas com o primeiro nome dos que ocuparão os lugares.

 Mesa-coordenadora. Uma mesa coordenadora é a destinada à direção de trabalhos perante um auditório, e tem assentos apenas do lado que tem vista para a audiência. Não se sentam pessoas nos seus extremos e não é coberta com toalha ou centro de mesa. Deve receber uma decoração floral rasa, geralmente constituída de um ramalhete deitado com os ramos e flores dispostos em leque e voltado apenas para a audiência. Cuida-se também de colocar uma cortina na parte voltada para o público.

Mesa-de-refeição. V.p.f. a página Boas-maneiras à mesa.

Mexilhões. Como se come.

Milho verde. Como se come.

Miss Manners. Famosa jornalista americana, colunista do The Washington Post, cujo verdadeiro nome é Judith Martin, uma das consagradas autoridades em Boas-maneiras e Etiqueta nos Estados, juntamente com Amy Vanderbilt e Emily Post.

Moradia. V.p.f. a página Desenho da casa confortável.

Morangos. V.p.f. a página Como se come.

 2001/2009
 R.Q.Cobra

Direitos reservados. Texto impresso original depositado no Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional. 
Para citar este texto:
Cobra, Rubem Q. - Verbetes de Boas-maneiras e Etiquetaa Filosofia. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 2001/09
("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de www.cobra.pages.nom.br).

Todos os links desta página devem estar funcionando. Se há um link nesta página que não está funcionando, por favor, avise-me. Insira em sua mensagem o TÍTULO da página onde encontrou o link defeituoso. Fico-lhe antecipadamente agradecido pela cortesia de sua colaboração.
Rubem Queiroz Cobra